Preloader

2021, o ano da indústria moveleira?

Segundo os critérios avaliados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a indústria moveleira tem motivos de sobra para comemorar. A última Pesquisa Industrial Mensal (PIM-PF), divulgada pelo instituto, aponta crescimento no setor em todas as variações do estudo.

Enquanto o aumento na produção de móveis no quinto mês deste ano recupera o volume perdido em maio de 2020: +42,5% sobre -37%, respectivamente. Na comparação com abril, o avanço de 4,5% não foi o suficiente para resgatar as leves perdas causadas pela desaceleração mês a mês no início do ano (veja tabela abaixo). Ainda assim, o cenário é bastante otimista para a indústria moveleira. O setor acumula resultados positivos tanto de janeiro a maio de 2021 em relação a igual período do ano passado (+29,4%) quanto nos últimos 12 meses (+15,1%).

Dessa forma, mesmo perdendo embalo em relação aos números super expressivos e impressionantes do segundo semestre do ano passado, o comportamento da indústria moveleira no primeiro semestre de 2021 demonstrou consistência e movimentação positiva em relação aos resultados tradicionais do período (anos pré-pandemia). Com isso, já é possível dizer que com a estabilização no abastecimento de matérias-primas e insumos, que vem se desenhando, a produção moveleira nacional tem tudo para alcançar recordes históricos em 2021. Estratégia, porém, será essencial.

Produção física da indústria moveleira em maio de 2021

Pesquia Industria Mensal - Indústria Moveleira

Siga o Setor Moveleiro também no YouTube

E, claro, nós da Plataforma Setor Moveleiro seguimos não só na torcida, mas como sempre fazendo nossa parte na busca por coletar e compartilhar informações estratégicas e decisivas de forma clara, colaborando para o desenvolvimento sustentado da indústria moveleira. Por isso mesmo, te convidamos também a conhecer o nosso canal no YouTube — programação exclusiva e feita por quem realmente vive e faz o setor moveleiro nacional. Visite: www.youtube.com/setormoveleiro.

Siga-nos nas redes sociais!

Veja também