Preloader

Balanço 2022: vendas de móveis e colchões cresceram 20,2% no varejo em novembro, diz ABIMÓVEL

Vendas de móveis e colchões cresceram 20,2% no varejo em novembro - Plataforma Setor Moveleiro

Vendas de móveis e colchões

No penúltimo mês do ano passado foram comercializadas cerca de 34,5 milhões de peças de móveis e colchões no varejo nacional. Com isso, as vendas do setor cresceram 20,2%, em volume, na passagem de outubro para novembro de 2022. Os dados foram publicados pela ABIMÓVEL (Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário) no início desta semana. 

Na semana passada, nós havíamos trazido AQUI os principais resultados da última edição da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que destacava queda de 8,5% nas vendas de móveis, excluindo-se eletrodomésticos, na comparação entre novembro de 2022 e novembro de 2021

A pesquisa, contudo, não traz a variação mês a mês por segmento, apenas no agrupado da categoria “móveis e eletrodomésticos”, que avançou 2,2% entre outubro e novembro.

Dessa forma, o avanço apontado pela ABIMÓVEL traz uma nova luz ao setor moveleiro, com o resultado de +20,2% “colaborando positivamente para um melhor equilíbrio na trajetória de desempenho do setor no comércio varejista no acumulado de 2022”, como ressaltou a entidade.

Vendas de móveis e colchões em 2022

Entre janeiro e novembro, o acumulado ficou, portanto, 11,1% menor do que em igual período em 2021. Em 12 meses, houve recuo de 11,5%.

“Diante de tal cenário, considerando as condições e projeções atuais de mercado, as estimativas apontam para um fechamento de ano 6,5% inferior ao desempenho das vendas de 2021, em volume”, reafirma a entidade. Apesar de negativo em relação ao ano anterior, se confirmado, o resultado seria 2,1% superior ao de 2019 (pré-pandemia), como falamos com mais profundidade em “Balanço 2022 no varejo de móveis e colchões: queda nas vendas frente a 2021 e aumento na comparação com o pré-pandemia”.

Receita de vendas de móveis e colchões no varejo

Quando falamos na receita das vendas de móveis e colchões no varejo brasileiro, esta foi de R$ 10,4 bilhões em novembro de 2022, ainda de acordo com a ABIMÓVEL. O valor é 10,7% superior ao montante de vendas de outubro do mesmo ano. 

Com isso, o faturamento no varejo moveleiro cresceu 2,6% entre janeiro e novembro do ano passado na comparação com igual período em 2021. Em 12 meses, o avanço foi de 1,8%.

“Vale ressaltar, mais uma vez, que essa discrepância entre o volume e a receita nas vendas de móveis e colchões no varejo é justificada especialmente pela evolução dos preços do mobiliário devido ao impacto inflacionário no setor ao longo do ano, maior do que a média geral do País, que acumulou 5,79% em 2022”, ressaltam.

Inflação no setor de móveis fecha o ano em 18,38%

O preço médio por peça de móveis no último mês de novembro era de R$270,54, passando para R$274,79 em dezembro. Subindo 1,57%, então, no último mês do ano, a inflação no segmento de móveis acumulou alta considerável de 18,38% ao longo de 2022. Fator que preocupa empresários.

O segmento de colchões, por sua vez, foi o único dentro do setor a experimentar deflação no ano passado: -0,12%, apesar do leve aumento de 0,08% nos preços na passagem de novembro e dezembro, fechando o ano com valor médio de R$586,23 por peça.

varejo de móveis nov & dez 2022 - ABIMOVEL

Para o fechamento de 2022, janeiro a dezembro, a expectativa é de crescimento na receita das vendas de móveis e colchões no varejo nacional: +3,5%, segundo as estimativas do IEMI para a ABIMÓVEL, considerando-se o patamar atual. Devendo chegar, então, a R$ 109,3 bilhões em vendas no ano.

Veja também