Quais as causas e possíveis soluções para a falta de mão de obra qualificada?

Quais as causas e soluções para a falta de mão de obra qualificada?

A contínua escassez global de mão de obra tem sido um desafio para diversas indústrias ao redor do mundo, incluindo o setor moveleiro. A falta de trabalhadores qualificados e a necessidade de adquirir novas habilidades para lidar com tecnologias emergentes têm impactado negativamente o crescimento das empresas. Por isso, nesta matéria, examinaremos as causas por trás da escassez de mão de obra, contextualizando-as com a realidade do setor moveleiro, e apresentaremos uma solução por meio do método CHA (Conhecimentos, Habilidades e Atitudes).

No Giro pelos Polos Moveleiros, realizado pela Plataforma Setor Moveleiro este ano, já apontaram a falta de mão de obra como a principal preocupação do setor. Para revisitar o conteúdo, você pode consultar as matérias novamente, a seguir:

  1. Giro pelos Polos: desafios e oportunidades diante da escassez de mão de obra
  2. Giro pelos polos moveleiros: mão de obra é principal desafio enfrentado pelo setor

Nesta análise também vamos contar com a expertise do Consultor em Gestão da Produção e Qualidade, Marcos Boch (@marcosantonioboch), que acumula mais de 15 anos no setor moveleiro. Ele explora a relevância da capacitação da mão de obra, tanto dentro quanto fora das fábricas, lembrando que “os móveis também precisam ser montados e instalados no seu local de destino”, destaca.

Escassez de mão de obra no contexto global

A escassez de mão de obra é uma preocupação não apenas no Brasil, mas em várias partes do mundo. Nos Estados Unidos, há previsão de mais de 2 milhões de empregos não preenchidos na manufatura até 2030, enquanto o Reino Unido enfrenta sua maior escassez de mão de obra em décadas. Estudos apontam que até 2030, haverá uma carência estimada de 85 milhões de trabalhadores em escala global. Esse cenário é impulsionado por uma série de fatores, que afetam diferentes regiões, indústrias e funções de trabalho.

Causas históricas impactam na falta de mão de obra

A pandemia global desempenhou um papel crucial na intensificação da escassez de mão de obra que ainda sofremos as consequências. A OMS relatou mais de 6 milhões de pessoas falecidas devido a questões relacionadas à pandemia. Este fator por si só causou grandes interrupções nos locais de trabalho em todo o mundo. Além disso, fatores relacionados à saúde mental são algumas das consequências diretas. Atualmente, as pessoas buscam um equilíbrio saudável entre trabalho e vida pessoal, segurança no emprego e ambientes de trabalho agradáveis, como vamos apresentar mais adiante neste artigo.

Outra explicação para a falta de mão de obra está relacionada ao aumento da população idosa. Estudos estimam que até 2030, uma em cada seis pessoas no mundo terá 65 anos ou mais. Além desta crise, as taxas de natalidade em muitos países estão caindo. A combinação do envelhecimento da população com a queda da taxa de natalidade resulta em uma diminuição da disponibilidade de trabalhadores.

Desafios no Setor Moveleiro

No setor moveleiro, a escassez de mão de obra é particularmente problemática. A integração de tecnologias avançadas, automação e Inteligência Artificial exige trabalhadores com habilidades específicas, muitas vezes não disponíveis no mercado. A perda de mão de obra devido à aposentadoria também contribui para esse problema, afetando a continuidade das operações e a inovação.

Um estudo recente revela que 87% dos empregadores globais estão atualmente enfrentando problemas de falta de habilidades ou esperam fazê-lo dentro de apenas alguns anos.

Ainda que as tecnologias emergentes definitivamente racionalizem os processos comerciais e melhorem a eficiência na produção, elas também exigem trabalhadores com as habilidades necessárias para operá-las.

Consultor em Gestão da Produção e Qualidade, Marcos Boch.
Consultor em Gestão da Produção e Qualidade, Marcos Boch. Foto: divulgação Sebrae.

Modalidades de capacitação de mão de obra

No V Congresso Moveleiro do Nordeste (Conemov), Marcos Boch trouxe à tona a importância da capacitação para a excelência produtiva no setor moveleiro, durante sua palestra intitulada “Capacitar para o Sucesso: Fábricas mais Produtivas”. Ao abordar esse tema, o consultor destacou várias modalidades de capacitação, ressaltando a necessidade de qualificação tanto dentro como fora das fábricas. Em alguns casos, a capacitação à distância também emerge como uma solução viável para ser aplicada.

Uma das modalidades apresentadas em sua consultoria é a de Qualificação Profissional, direcionada para os profissionais que já atuam na área e buscam aprimorar suas habilidades. Nesse contexto, cursos de curta duração podem ser realizados inteiramente de forma remota. “O curso visa qualificar o profissional, melhorar o seu desempenho e produtividade, tornando-se assim uma alternativa viável para aprendizado à distância”, afirma Boch. 

Entretanto, a modalidade de Iniciação Profissional que objetiva aumentar a mão de obra nas empresas, no mercado de trabalho e na comunidade, demanda um formato presencial. “Esses cursos visam dotar os jovens de uma profissão ao término do programa”, esclarece.

Modelagem Profissional para produzir mais e melhor

Uma estratégia fundamental apresentada por Boch é a Modelagem Profissional que foca na capacitação interna das empresas. “Em situações nas quais o setor de Recursos Humanos não consegue contratar um profissional especializado para uma tarefa específica, seja na produção interna ou em serviços externos, como instalações, a Modelagem Profissional se torna essencial”, explicou.

Nesse método, colabora-se com o departamento de RH para preparar um profissional que servirá como referência para transmitir conhecimentos adquiridos, visando a padronização do desempenho de toda a equipe.

Boch enfatizou a necessidade de uma abordagem abrangente e personalizada tanto no âmbito interno quanto externo ao buscar soluções para a capacitação de mão de obra no setor moveleiro. Ele também anunciou sua próxima capacitação sobre “Embalagem e Expedição de Móveis Planejados”. Vale mencionar que Marcos Boch também emprega o método CHA para atingir a qualidade total em suas consultorias. Essa metodologia reforça a importância de Conhecimentos, Habilidades e Atitudes no processo de capacitação, por exemplo.

Capacitação de Embalagem e Expedição
Capacitação de Embalagem e Expedição inicia em novembro: inscrições pelo Instagram @‌marcosantonioboch

Método CHA para enfrentar a escassez de mão de obra

O método CHA (Conhecimentos, Habilidades e Atitudes) oferece uma abordagem abrangente para combater a falta de mão de obra qualificada. Esse método, desenvolvido pelo psicólogo americano David McClelland nos anos 70, destaca a importância de investir em competências por meio do desenvolvimento de conhecimentos, habilidades e atitudes.

  • Conhecimentos: Fornecer treinamentos e capacitação que permitam aos trabalhadores adquirir as habilidades necessárias para lidar com tecnologias emergentes e novas práticas no setor moveleiro.
  • Habilidades: Desenvolver habilidades práticas que permitam aos trabalhadores aplicar os conhecimentos adquiridos no ambiente de trabalho, aumentando sua eficiência e eficácia.
  • Atitudes: Cultivar atitudes positivas, como adaptabilidade, resiliência e vontade de aprender, para enfrentar os desafios da indústria moveleira em constante evolução.

Benefícios do Método CHA

Ao alinhar os pilares do método CHA com as metas organizacionais, as empresas podem colher diversos benefícios. Funcionários mais motivados e produtivos, menor rotatividade de colaboradores, equipes mais preparadas e engajadas, além de uma maior rentabilidade, são alguns dos resultados alcançados. Isso se torna ainda mais relevante no contexto das equipes remotas, que necessitam de um alto nível de autonomia e responsabilidade.

A escassez de mão de obra no setor moveleiro e em outras indústrias é um desafio complexo que exige soluções criativas e eficazes. A implementação do método CHA, focado no desenvolvimento de Conhecimentos, Habilidades e Atitudes, pode ser a chave para superar essa carência de trabalhadores qualificados. Portanto, ao investir na capacitação e no crescimento profissional dos colaboradores, as empresas do setor moveleiro podem garantir uma força de trabalho preparada para enfrentar os desafios do presente e do futuro. E assim, contribuir para o crescimento sustentável da indústria.

Veja também