Casa Figital: Como os avanços na domótica influenciarão o futuro da produção moveleira

Casa Figital: Como os avanços na domótica influenciarão o futuro da produção moveleira

Compartilhe nas redes!

Compartilhe nas redes!

“Eu acho que essa é a forma do que está por vir: design invisível, onde as coisas magicamente acontecem a minha volta.” A frase é do suíço Yves Béhar, um dos mais aclamados eco-designers do mundo, e traduz muito bem o que muitos esperam para o futuro do viver e do morar daqui em diante.

Em nosso último artigo publicado aqui na Plataforma Setor Moveleiro, falamos da união entre o mundo físico e o digital, o figital, como uma das soluções viáveis para o futuro das feiras de negócios e demais exibições ao redor do globo. O conceito, porém, não é algo exatamente novo, e já faz parte das estratégias de marketing e de design de diversas áreas há um bom tempo.

No setor moveleiro e de interiores, o figital ganhou força como parte fundamental da domótica – tecnologia responsável pela gestão de todos os recursos habitacionais, com o termo originário da fusão da palavra “domus”, que significa casa, com a palavra “robótica”, que está ligada ao ato de automatizar, isto é, realizar ações de forma automática. A automação habitacional, portanto, é um campo muito abrangente e em franco desenvolvimento, tornando-se cada vez mais tangível, especialmente agora, com o avanço do 5G e da Internet das Coisas.

A automação habitacional e as novas dinâmicas da casa

Imagine, por exemplo, acordar serenamente, enquanto uma luz de humor simula lentamente o amanhecer e suas músicas favoritas começam a tocar em uma playlist personalizada no Spotify. Enquanto isso, o cheiro de café já emana da cozinha e o banheiro está na temperatura ideal para sua rotina de cuidados matinais.

Agora imagine ser capaz de fazer tudo isso sem levantar da cama, sem precisar da ajuda de ninguém e por meio de um único dispositivo. Impossível? Não mais, graças às diversas soluções que fazem parte da emergente categoria de dispositivos conectados que podem ativar uma série de tarefas domésticas gerenciadas por um único centro de comando. E esses são apenas alguns exemplos.

Os objetos domésticos, dos aparelhos eletrônicos ao mobiliário, vêm atuando como novas pontes entre os mundos físico e digital, tornando todos os aspectos da gestão e organização da vida nesse ambiente mais inteligentes e dinâmicos, com a casa passando a ser capaz de compreender e a responder aos desejos de seus habitantes. Chamamos essa macrotendência de Casa Inteligente ou Smart Home.

Ela inclui três diferentes microtendências: Design de Necessidade Imediata, Objetos Inteligentes e Design Aumentado. São esses pontos, aliás, que guiam à concepção de novos produtos para casa, aliando estética, tecnologia e praticidade. Questões essenciais para que o setor moveleiro possa atender às novas demandas que surgem dia após dia frente aos desafios do home office – com muitas profissões e departamentos tornando-se permanentemente remotos a partir de agora.

A nova onda de investimento em tecnologia

Mas como, efetivamente, aplicar tudo isso à produção moveleira? Se o investimento tecnológico no chão de fábrica e na gestão das empresas foi indispensável para o crescimento delas nos últimos anos, o momento agora é de começar a olhar para meios de estender essa tecnologia até o consumidor final. Ou seja, se hoje temos máquinas e equipamentos capazes de produzir de maneira inteligente, eficiente e autogerenciável, também precisaremos investir em ferramentas para tornar os móveis igualmente inteligentes, eficientes e, sim, autogerenciáveis.

Smart furniture é o nome dado às soluções em móveis que usam informações do ambiente ao redor para fornecer funcionalidade e conforto integrados aos seus usuários. Esse mobiliário possui as mesmas características de estilo de um móvel comum, no entanto, atendendo a muitos outros propósitos (além do sentar, comer, dormir, entre outras atividades). Ele pode tanto ser pensado para otimização de espaços, como pode ser integrado às mais recentes ferramentas de Tecnologia da Informação, que permitem ao usuário conectar o mobiliário a seus dispositivos móveis, por exemplo.

Em parceria com a Revista DecorArq, em nosso próximo artigo aqui na Plataforma de Negócios Setor Moveleiro, traremos uma seleção de soluções reais para casas inteligentes que já fazem sucesso na Europa há algum tempo e inspiram o conceito de desenvolvimento de diversos móveis e aparelhos eletrônicos também aqui no Brasil. Fique ligado!

Um Comentário

  1. […] de móveis e artigos inteligentes para a casa — a gente escreveu um artigo sobre o tema, veja aqui —, o conceito foi adotado por praticamente todas as grandes feiras moveleiras ao redor do mundo, […]

Deixe Um Comentário

  • Categories: Marketing

    Colchões Castor – Chegar aos 60 anos em boa forma não é uma missão simples. Exige jogo de cintura, muita […]

  • Categories: Indústria

    Indústria moveleira – Acompanhando as oscilações no mercado moveleiro nacional, impactado, entre outros motivos, pela instabilidade econômica e a retomada […]

  • Categories: Feiras

    Fornecedor na cadeia moveleira – Enquanto muitos consumidores direcionaram seus recursos para realizar melhorias em suas casas durante os últimos […]

  • Categories: Varejo

Notícias em Destaque

  • Categories: Indústria, Notícias

    Abaixo do desejado desde dezembro de 2019, o nível dos estoques de produtos finais, que atingiu nível crítico no segundo […]

  • Categories: Indústria

    Na semana passada, nós falamos sobre as oportunidades para os móveis brasileiros nos Estados Unidos – clique para ler. Enquanto […]

  • Categories: Indústria

    A produção industrial no Brasil caiu 0,4% na passagem de agosto para setembro deste ano. Esta é a quarta queda […]

Assine
a nossa
Newsletter

    Opinião