Como ter uma mentalidade preparada para a nova economia?

Como ter uma mentalidade preparada para a nova economia?

Compartilhe nas redes!

Compartilhe nas redes!

Marcos-Batista-Painel-Setor-Moveleiro-Ubá- mentalidade-para-a-nova-economia

Apresentando um panorama sobre o cenário econômico, industrial e varejista, além das percepções sobre o ambiente de negócios e de fomento ao empreendedorismo no Brasil, o 2º PAINEL SETOR MOVELEIRO, que ocorreu no último dia 05 de abril, em formato híbrido,  foi palco de duas grandes palestras, que puderam ser conferidas na íntegra tanto presencialmente — no auditório do Intersind (Sindicato Intermunicipal das Indústrias do Mobiliário de Ubá – MG) — quanto pelo youtube.com/setormoveleiro. O palestrante a abrir a noite foi Marcos Batista, co-fundador da Aceleradora de PME, com o tema “Mentalidade para a nova economia”.

Em sua palestra, o especialista visou levantar referências que ajudem a compreender o mundo que passa por transformações cada vez mais constantes na vida, no mercado e nos negócios. Em especial, nesta ocasião, considerando o setor moveleiro, formado majoritariamente por empresas de pequeno porte. Empresas, estas, que devem buscar alternativas inovadoras para contornarem os impactos gerados pelo que chama de “mudança de era”. Transformação promovida e acelerada por eventos como crises, pandemia e tecnologias emergentes, que culminaram em novos comportamentos de consumo e modelos de negócios.

No recém-lançado livro “Metamorfose Empreendedora – Os 4 Es do SER”, que co-assina junto a Hugo Santos e Benício Filho, Batista explica melhor o fato de não estarmos apenas vivendo em uma era de mudanças, mas, sim, uma mudança de era.

“Imagine dois mundos: um que está morrendo e um novo que está surgindo. Você está na coexistência de ambos. É exatamente nessa situação que nos encontramos: nascemos e aprendemos em um mundo que está falindo, que já não faz mais sentido e precisamos nos conformar com o fim. Mas, mesmo assim, praticamos e estamos presos aos modelos antigos.”

Mentalidade para a nova economia

Batista ressalta, então, que para este novo cenário não basta apenas ter os melhores recursos ou correr para aprender novas habilidades. Se faz necessário confrontar o nosso jeito de pensar do passado para uma nova postura mental que esteja alinhada com os desafios da nova economia.

É necessário aceitar o novo mundo e entender que muitas pessoas e negócios já estão vivendo essa transformação e aprenderam a utilizar as possibilidades trazidas da revolução digital. O novo mundo trouxe mudanças nos modelos de negócios e na sociedade que nos levaram para novas economias e comportamentos.”

Para ele, este é o século da diversidade, da busca pelo acesso e democratização, da reputação, da conveniência, do diálogo entre pessoas diferentes, da consciência e da proteção do planeta. Portanto, não se pode avançar nessa nova era carregando somente velhos conceitos e práticas do passado. Tampouco tendo convicções antiquadas e arcaicas. É necessário mudar, num mundo que não vem com manual de sobrevivência. Muito pelo contrário: ele é imprevisível e cada vez mais rápido.

Marcos-Batista-Painel-Setor-Moveleiro-UbáMundo das causas: mudanças no comportamento de consumo

Batista salienta que vivemos uma nova mentalidade de consumo. Evoluindo, então, do mundo das coisas, passando pelo mundo das experiências até chegarmos, agora, ao mundo das causas. “Quando você se interessa pelos problemas dos seus clientes, mais ele se interessa por você”, pontuou.

Mais do que habilidades e recursos, portanto, é preciso preparar nossa mentalidade e que esta esteja em sintonia com as demandas destes novos consumidores e da nova economia. Essa nova mentalidade será capaz de utilizar melhor essas novas habilidades com os recursos possíveis.

E se saímos do mundo das coisas para o mundo das causas, isso quer dizer que o conceito “4 E’s do SER” envolve questões ao mesmo tempo abstratas e objetivas, simples e complexas sobre a construção de um mundo melhor baseado no empreendedorismo.

Com a chegada de uma era que foi antecipada pela Covid-19, nossas empresas e competências, além de estarem adaptadas a novos modelos de economia, necessitam, então, ressignificar seus valores, apoiados por uma causa e propósito.

De fato, demonstrar soluções, não só produtos, vem se mostrando como um dos maiores elementos de valor e criação de diferenciais estratégicos no mercado atual.

“O maior desafio não é resolver uma coisa extraordinária. Mas uma coisa ordinária extremamente bem”, fala Marcos Batista, co-fundador da Aceleradora de PME e palestrante do 2º PAINEL SETOR MOVELEIRO

‘Ficar na zona de conforto não te coloca no futuro que se estabelece no hoje’

E se empreender é um processo, a tomada de consciência das possibilidades de transformação por meio do empreendedorismo apenas faz sentido para aqueles que, dentro da sua humanidade, despertam para essa jornada. Afinal, o crescimento do ser humano não pode ser dissociado do crescimento dos negócios, e vice-versa.

Mais do que em qualquer outro momento, portanto, é necessário compreender o empreendedorismo sob um novo aspecto. Consumidores não querem somente produtos, serviços ou soluções. Eles querem ter uma nova experiência com as marcas das quais compram. É necessário empreender praticando o propósito transformador de vidas e negócios.

“Em outras palavras, ficar na zona de conforto não te coloca no futuro que se estabelece no hoje. É preciso entender as mudanças de era e suas implicações para dar espaço a um novo jeito de pensar, se comunicar e agir”, enfatiza o palestrante.

Marcos Batista

Batista é empreendedor e consultor. Participou de diversos projetos de inserção da cultura de inovação em empresas públicas e privadas; bem como na implantação de núcleos e laboratórios de Design e Inovação. Atua também como assessor de inovação no Centro Paula Souza; além de ser professor dos principais cursos de MBA em Inovação; especialista convidado do programa Inova360 da Record News; e co-autor do livro “Metamorfose Empreendedora – O 4 Es do SER”, que traz valiosos insights para o empresariado nacional, incluindo o moveleiro.

 

PAINEL SETOR MOVELEIRO

O PAINEL SETOR MOVELEIRO é um evento híbrido e itinerante organizado pela Plataforma Setor Moveleiro, com o objetivo de proporcionar uma visão integral do momento pelo qual o mercado de móveis atravessa, levando alternativas estratégicas para o futuro da cadeia do mobiliário no Brasil.

Toda a dinâmica foi transmitida também pelo youtube.com/setormoveleiro, maior plataforma brasileira de vídeos da área e referência em conteúdo especializado na indústria do mobiliário. Confira entrevista realizada após o evento pelo jornalista Carlos Sodré, do Portal Ubá News, com Carlos Bessa, CEO da Plataforma Setor Moveleiro e criador do PAINEL SETOR MOVELEIRO:

 

Um Comentário

  1. Nairon Monteiro 24 de abril de 2022 at 12:15 - Reply

    Tenho um enorme privilégio de ter esse profissional de altíssimo nível, em minha seleta lista de bons amigos, que esta caminhada terrena me presenteou. Parabéns nobre SER, MARCOS BATISTA. Ate já (de preferência na orla desta terrinha alagoana.rsrs).

Deixe Um Comentário

  • Categories: Feiras

    Com organização do Sindicato da Indústria do Mobiliário de Mirassol, o SIMM, a edição 2022 da Movinter começa amanhã, 28 […]

  • Categories: Marketing

    Colchões Castor – Chegar aos 60 anos em boa forma não é uma missão simples. Exige jogo de cintura, muita […]

  • Categories: Feiras
  • Categories: Indústria

    Indústria moveleira – Acompanhando as oscilações no mercado moveleiro nacional, impactado, entre outros motivos, pela instabilidade econômica e a retomada […]

Notícias em Destaque

  • Categories: Indústria, Notícias

    Abaixo do desejado desde dezembro de 2019, o nível dos estoques de produtos finais, que atingiu nível crítico no segundo […]

  • Categories: Indústria

    Na semana passada, nós falamos sobre as oportunidades para os móveis brasileiros nos Estados Unidos – clique para ler. Enquanto […]

  • Categories: Indústria

    A produção industrial no Brasil caiu 0,4% na passagem de agosto para setembro deste ano. Esta é a quarta queda […]

Assine
a nossa
Newsletter

    Opinião