Preloader

Dia do Marceneiro: o que a data nos diz sobre a evolução da indústria moveleira?

Dia do Marceneiro - o que a data nos diz sobre a evolução da indústria moveleira - Plataforma Setor Moveleiro

Dia do Marceneiro – O dia 19 de março é dedicado a uma das profissões mais antigas e importantes do mundo: a marcenaria, base da indústria moveleira como a conhecemos hoje. Por isso mesmo, entender sua evolução é compreender melhor, também, os caminhos do setor de móveis. 

Fazendo uma alusão a São José, embora remeta a tempos remotos, o Dia do Marceneiro celebra também o avanço do ofício, que vem se modernizando cada vez mais. 

Essa modernização da marcenaria tem sido marcada por diversos fatores, que têm contribuído para o desenvolvimento da área, bem como para a criação de peças cada vez mais sofisticadas e diferenciadas, ao mesmo tempo em que são fabricadas com mais precisão, rapidez e economia. 

Com a incorporação de novas tecnologias, portanto, a marcenaria moderna tem integrado a cada dia mais os avanços da grande indústria. Mas, claro, essa integração não se trata de uma via de mão única, com a tendência por personalização e customização exigindo que a produção em larga escala se volte também cada vez mais à essência do ofício de fabricação de móveis sob medida.

Tendência de personalização e customização do mobiliário promove o intercâmbio entre tradição e inovação

De fato, os móveis personalizados e customizáveis têm se tornado mais e mais populares nos últimos anos. Isso, como reflexo do desejo do consumidor por peças que reflitam sua personalidade, bem como otimizem espaço, sejam multitarefas, respeitem o meio ambiente e conversem com tendências globais de design, agora que somos cada vez mais expostos a tudo que acontece no mundo, muitas vezes sem sequer sair de casa. 

Entre os fatores que sustentam esse movimento está o fato das pessoas valorizarem cada vez mais o seu tempo em casa, uma das características pós-pandemia, e de quererem mais conforto e bem-estar. Com os consumidores buscando, portanto, soluções personalizadas para espaços que devem ser cada vez mais otimizados para receber e atender as mais diferentes tarefas.

Outro fator é a crescente preocupação com a sustentabilidade. Questão que levou a um aumento na demanda por móveis personalizados e de qualidade, além de proporcionar oportunidades para novos negócios e investimentos na área. 

Mas como tornar tudo isso economicamente acessível? É aí que a integração entre o feito à mão e a automação se mostra como uma solução cada vez mais latente para o futuro do setor. 

Dia do marceneiro e a evolução do ofício: marcenaria 5.0?

Todo marceneiro sabe, por exemplo, que contar com equipamentos de qualidade, como uma serra de esquadria ou uma desengrossadeira, é essencial para garantir eficiência no serviço, otimizar tempo e evitar o desperdício de materiais. 

Graças ao avanço industrial, marceneiros modernos têm à disposição uma grande variedade de equipamentos, como serras circulares, tupias, plainas, lixadeiras e furadeiras, entre muitos outros. Além disso, máquinas CNC (Comando Numérico Computadorizado) permitem que os marceneiros cortem e usinem peças de madeira com precisão e rapidez, aumentando a eficiência, reduzindo o tempo de produção e agregando valor ao móvel. As máquinas de corte a laser, por exemplo, são capazes de cortar peças de madeira com uma precisão de até um décimo de milímetro, o que é muito mais preciso do que seria possível com ferramentas manuais. 

Softwares de desenho e modelagem 3D, ainda, têm possibilitado a criação de projetos complexos e detalhados. Um exemplo são as soluções oferecidas pela Cyncly, por meio da união entre os produtos e serviços da Compusoft, 2020, Promob e Focco. “Queremos permitir que nossos clientes simplifiquem a complexidade, aumentem as vendas, melhorem a eficiência e impulsionem a inovação. Reunimos soluções para ajudar a todos na cadeia de valor a fazerem seu trabalho e entregarem resultados incríveis”, explica o CEO da Cyncly, Joerg Jung.

No quesito sustentabilidade, a tecnologia digital permite um uso mais eficiente da matéria-prima, reduzindo o desperdício de madeira e outros materiais. Além disso, a automação produtiva pode ser ajustada para minimizar o impacto ambiental, reduzindo o uso de energia e água.

Materiais inovadores para a produção de móveis

Os materiais utilizados também evoluíram. Atualmente é possível encontrar uma grande variedade de materiais econômica e ambientalmente mais adequados, além de oferecerem maior flexibilidade de manuseio e muito mais variedade de cores, texturas e padrões sem onerar a produção. 

Embora a madeira continue a ser a principal matéria-prima mais utilizada na produção de móveis, materiais como MDF, compensado, polímeros, rochas e metais, têm sido cada vez mais aplicados na concepção de mobiliário, componentes e itens de decoração. 

A Eucatex, por exemplo, fornece uma vasta gama de opções de painéis MDF revestidos com lâminas decorativas de madeira natural, que oferecem um acabamento sofisticado e durável para móveis, portas e painéis de parede. Assim também como a coleção MDP Perrfect, que se destaca pela ampla variedade de opções de cores e acabamentos, além da uniformidade e resistência das superfícies.

Com soluções inovadoras, focando em acabamento, qualidade e custo-benefício, a Sayerlack também contribui para o desenvolvimento da marcenaria. Um dos carros-chefes da empresa são os vernizes, que protegem e concedem acabamento aos móveis. A empresa também oferece uma linha completa de tintas para madeira, incluindo tintas PU (poliuretano), acrílicas e à base de água. Essas tintas apresentam excelente cobertura e resistência à umidade e à abrasão, o que garante uma proteção durável e de alta qualidade para a madeira.

Unindo o melhor dos dois mundos: automação e feito à mão

Para continuar evoluindo, então, a marcenaria precisa continuar a investir em tecnologia e inovação. A integração de tecnologias avançadas, como a inteligência artificial e a robótica, pode levar a marcenaria a novos patamares de eficiência e inovação. Ao mesmo tempo, a grande indústria deverá incorporar cada vez mais técnicas e detalhamentos tradicionais para criar soluções que atendam a demanda por personalização e customização.  

Nos dois sentidos, o design deve continuar a suportar e a acompanhar as tendências e demandas do mercado, criando peças funcionais, elegantes e adaptáveis. Com a combinação de habilidades manuais e automação, portanto, estendendo-se por toda a cadeia e resultando numa integração essencial para o futuro do setor moveleiro como um todo, do sob medida ao seriado.

Além disso, a evolução industrial, como por meio dos avanços no que diz respeito à Indústria 5.0, tem proporcionado uma nova perspectiva para essa integração “tradição e inovação”. A chamada “marcenaria 5.0” traz uma nova abordagem para a relação entre os trabalhadores e as máquinas. Ao invés de substituir os trabalhadores por máquinas, portanto, a tecnologia é usada para complementar as habilidades humanas, criando uma colaboração mais eficiente e produtiva.

O dia do marceneiro é, portanto, não só uma homenagem a essa tão nobre profissão, mas também uma oportunidade para refletir sobre a evolução da indústria moveleira ao longo dos anos. Com a integração entre tradição e inovação impulsionando a reinvenção e o aumento da competitividade no setor. 

Veja também