Preloader

Parcerias e estratégias de sustentabilidade ganham espaço no setor

estrategias-de-sustentabilidade

Com eventos climáticos extremos em diversas partes do planeta, é ainda mais importante que toda a sociedade tome medidas para redução de resíduos e da emissão de gases do efeito estufa. Do mesmo modo, no setor moveleiro, não é diferente. Por isso, parcerias e estratégias de sustentabilidade ganham espaço a cada dia. 

Um exemplo disso é o programa Naturecycle, da empresa gaúcha Plastiweber, que incentiva a coleta seletiva e destina embalagens de plástico recicladas à indústria  de móveis.

De 2017 a agosto de 2023, a companhia já forneceu ao setor moveleiro mais de 20 mil toneladas de embalagens plásticas recicladas pós-consumo, o equivalente a mais de 20 milhões de quilos de plástico. Ao todo, 147 empresas moveleiras são parceiras da Plastiweber. Entre elas, estão nomes como a Madesa, uma das pioneiras do programa Naturecycle, e que já foi responsável por evitar a emissão equivalente a 40 toneladas de CO2.

Na sequência, a Plataforma Setor Moveleiro traz mais informações sobre a importância desses resultados para o meio ambiente.

Estratégias de sustentabilidade garantem uso racional de resíduos

Moisés Weber, CEO da Plastiweber, conta que além de dar o destino correto aos materiais, a iniciativa evitou a emissão de 40 toneladas de CO2 equivalente, no período de seis anos, por exemplo. “O número representa também 800 milhões de embalagens recicladas, que invariavelmente iriam parar em um aterro, lixão ou mesmo na natureza”, conta.

Como funciona a parceria

O trabalho da Plastiweber teve início em 1997. Desde então, o projeto entrega ao mercado embalagens certificadas feitas com até 100% de plástico reciclado pós consumo, desenvolvidas a partir de materiais entregues por cooperativas, escolas, instituições, empresas e pela população local. “Para as empresas moveleiras, assim como para nossos outros parceiros, oferecemos embalagens secundárias com diferentes percentuais de conteúdo reciclado pós-consumo”, informa. 

O objetivo, além de fazer com que o plástico retorne à cadeia produtiva, é mobilizar pessoas, marcas e entidades a coletar esses resíduos. “Os recursos obtidos com os resíduos coletados por meio das iniciativas do programa são revertidos para projetos socioambientais dentro das próprias escolas, cooperativas e instituições participantes”, completa o CEO.

Para Weber, a economia circular já não é mais uma opção, mas uma necessidade do planeta. “Buscamos motivar um número cada vez maior de empresas brasileiras a abraçar essa ideia”, ressalta.

O programa Naturecycle atua através de diferentes projetos nas cidades gaúchas. Por meio dessas iniciativas, mais de R$ 200 mil já foram destinados para áreas de educação e saúde.

Empresas moveleiras nas estratégias sustentáveis 

A Madesa é uma das parceiras da iniciativa Naturecycle. Para o CEO da indústria, Pedro Cini, trata-se de um trabalho importante  que faz a diferença para a sociedade. “Neste projeto estamos plantando uma semente de uma iniciativa que vai impactar positivamente muitas pessoas nos próximos anos”, comenta.  

O Grupo K1, que tem entre as suas empresas a Kappesberg, recebe o plástico reciclado vindo da Plastiweber. Nesse cenário, o uso dessas embalagens é apenas uma das ações sustentáveis da companhia, lembra a gerente de Marketing, Vívian Rockemback.

Veja também