Exportações de móveis e colchões sobem 34,5% no primeiro trimestre de 2021

Exportações de móveis e colchões sobem 34,5% no primeiro trimestre de 2021

Compartilhe nas redes!

Compartilhe nas redes!

As exportações de móveis e colchões brasileiros em março apresentaram crescimento de 40,1% em relação a fevereiro do mesmo ano. Seguindo, portanto, uma trajetória positiva desde o início de 2021, o acúmulo no primeiro trimestre foi de 34,5%.

Outra boa notícia é que voltando ao patamar de janeiro, todas as categorias analisadas no “Monitoramento das Exportações de Móveis”  tiveram avanço nas vendas internacionais no mês de março. O estudo é desenvolvido mensalmente pelo IEMI – Inteligência de Mercado com exclusividade para as empresas associadas ao Projeto Brazilian Furniture — iniciativa da Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário (ABIMÓVEL) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Na comparação com fevereiro, os números em ordem de crescimento foram: estofados, +69,5%; móveis de madeira, +37%; e móveis de metal, +27,6%. Com tal resultado, então, a categoria “metal” recupera parte do volume perdido no mês anterior. Fechando, assim, o primeiro trimestre com variação positiva de 6,3%.

Os colchões continuam na liderança quando o assunto são as exportações no setor moveleiro. Crescimento significativo de 81,7% em março na comparação com o mês imediatamente anterior, quando já havia apresentado variação positiva de 63,4%. Dessa forma, o acumulado da exportação de colchões neste ano já é de 62,9%. Nesta categoria, a novidade é que diferente de fevereiro, o Uruguai foi o país que mais importou colchões brasileiros no mês de março (acréscimo de 51%). Deixando, assim, a Bolívia na segunda posição, mas ainda em ritmo acelerado (+106,3%).

Veja o panorama geral das exportações de móveis e colchões brasileiros na tabela abaixo:

Plataforma Setor Moveleiro Março_PanoramaGeral_MonitoramentoExportacoesdeMoveis_ApexBrasil_Abimovel

Principais destinos das exportações de móveis e colchões brasileiros

Os Estados Unidos seguem firme como o principal destino do mobiliário brasileiro no exterior: +13,7% na passagem de fevereiro para março de 2021 e +31,5% no acumulado dos três primeiros meses. As negociações com o Chile, porém, também vêm crescendo a passos largos: +217,8% e +185,8% nas mesmas comparações, respectivamente.

Mais uma notícia muito bem-vinda: após queda de 11% na relação fevereiro-janeiro 2021, as exportações de móveis e colchões para o Reino Unido, importante parceiro comercial no setor, avançaram 27,1% em março. Com a movimentação positiva, o acumulado no primeiro trimestre foi de +7,7%. Não houve variação negativa na passagem de fevereiro para março entre os principais destinos das exportações brasileiras de móveis e colchões.

Plataforma Setor Moveleiro Março_PrincipaisDestinosl_MonitoramentoExportacoesdeMoveis_ApexBrasil_Abimovel

Oportunidades para o móvel brasileiro ao redor do mundo

Outros mercados que vêm demonstrando cada vez mais interesse pelo mobiliário brasileiro são nossos vizinhos sul-americanos. As exportações da indústria para o Uruguai cresceram 42,6% em março; já para o Peru, o incremento nos negócios foi de 48,5% — ambos na comparação mês a mês.

O avanço significativo no comportamento de consumo da população peruana, cada vez mais orientada à qualidade dos produtos quando falamos em bens duráveis, colocam o Brasil como um parceiro de negócios ideal: considerando a proximidade territorial, bem como a maior flexibilidade logística, tecnológica, econômica e de inovação de nossas indústrias.

E apesar de não figurar na lista dos dez maiores destinos do mobiliário brasileiro no mundo, as exportações de móveis de madeira para a Arábia Saudita vêm crescendo também com bastante robustez nos últimos meses. Só entre fevereiro e março de 2021, a variação foi de 221,9%. Ao observarmos o acumulado do primeiro trimestre, o salto é ainda maior: 346,3%.

Siga-nos nas redes sociais!

2 Comments

  1. […] Leia também – Exportações de móveis e colchões sobem 34,5% no primeiro trimestre de 2021 […]

  2. […] Ou seja, um salto e tanto, e que merece a atenção do setor na busca por alternativas para manter a demanda por móveis aquecida tanto no mercado interno quanto externo. Considerando que as exportações vêm também crescendo em ritmo bastante animador neste ano. Devendo bater, aliás, os 40% de crescimento até o final de 2021. Veja mais informações sobre as exportações brasileiras de móveis neste artigo: Exportações de móveis e colchões sobem 34,5% no primeiro trimestre de 2021. […]

Deixe Um Comentário

  • Categories: Marketing

    Colchões Castor – Chegar aos 60 anos em boa forma não é uma missão simples. Exige jogo de cintura, muita […]

  • Categories: Indústria

    Indústria moveleira – Acompanhando as oscilações no mercado moveleiro nacional, impactado, entre outros motivos, pela instabilidade econômica e a retomada […]

  • Categories: Feiras

    Fornecedor na cadeia moveleira – Enquanto muitos consumidores direcionaram seus recursos para realizar melhorias em suas casas durante os últimos […]

  • Categories: Varejo

Notícias em Destaque

  • Categories: Indústria, Notícias

    Abaixo do desejado desde dezembro de 2019, o nível dos estoques de produtos finais, que atingiu nível crítico no segundo […]

  • Categories: Indústria

    Na semana passada, nós falamos sobre as oportunidades para os móveis brasileiros nos Estados Unidos – clique para ler. Enquanto […]

  • Categories: Indústria

    A produção industrial no Brasil caiu 0,4% na passagem de agosto para setembro deste ano. Esta é a quarta queda […]

Assine
a nossa
Newsletter

    Opinião