Preloader

Exportações de móveis e colchões voltam a crescer em fevereiro de 2021

As exportações de móveis e colchões do Brasil voltaram a registrar aumento em fevereiro de 2021: +26,9% comparando-se a igual mês do ano passado, período ainda pré-pandemia. Apesar de seguir o ritmo positivo de janeiro  — reveja aqui os resultados do primeiro mês do ano —, a dinâmica das exportações por categoria, no entanto, foi bastante diferente da do mês anterior, conforme revela o estudo “Monitoramento das Exportações de Móveis”, publicado pela Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário (ABIMÓVEL) e da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimento (Apex-Brasil).

Em fevereiro, o grande destaque ficou por conta dos colchões. Crescimento de 63,4% na comparação com igual mês em 2020. A Bolívia, aliás, foi o principal destino dos colchões brasileiros no período. Aumento de 76,3% na mesma comparação, seguida por outros países da América do Sul.

Na sequência, por categoria, aparecem os móveis de madeira, com crescimento de 28,8% na comparação fevereiro 2020-2021, tendo como o principal destino os Estados Unidos, crescimento de 42,3%. Os estofados também apresentaram variação positiva, 13,6%.

As exportações de móveis de metal, porém, recuaram 25,1% na variação mensal. Vale ressaltar que o segmento aço é um dos que mais vem sofrendo com a escassez e super precificação de matéria-prima nos últimos meses. A crise no abastecimento, aliás, está em pauta junto ao Ministério da Economia neste momento. Leia mais sobre o tema – “Crise de abastecimento na indústria moveleira: Aumento nos preços de matérias-primas ultrapassa 170% em alguns segmentos”.

Mercado chileno demonstra cada vez oportunidades para as exportações de móveis brasileiros

Ainda na comparação com igual período do ano anterior, os Estados Unidos continuam na liderança. Sendo, então, o principal mercado importador de móveis brasileiros: aumento de 34,2%. Recentemente, nós publicamos um conteúdo exclusivo sobre a relação do setor moveleiro nacional com o mercado americano, leia aqui.

As exportações de móveis para o Chile também crescem a ritmo acelerado: a variação foi de 165% em fevereiro. Dessa forma, o Chile assume a segunda posição entre os principais destinos dos móveis brasileiros.  Com o Reino Unido, assim, caindo para a terceira posição ao apresentar um recuo de 11%, após meses de instabilidade. Entre os cinco principais destinos, esta foi a única variação negativa no segundo mês do ano, veja na tabela abaixo.

MONITORAMENTO DAS EXPORTAÇÕES DE MÓVEIS

Na opinião da ABIMÓVEL, a evolução das negociações com o mercado chileno de fato demonstra um momento de novas oportunidades para o setor moveleiro nacional. Do montante de móveis e colchões exportados pela indústria brasileira no acumulado de todo o ano passado, o Chile teve participação de 10,4% no total. Mais uma vez ficando atrás apenas dos Estados Unidos. A proximidade e os acordos entre os dois países, aliás, podem continuar favorecendo o cenário de evolução dos negócios, especialmente em face das diversas restrições de mobilidade impostas globalmente, além das questões cambiais.

MONITORAMENTO DAS EXPORTAÇÕES DE MÓVEIS

Siga-nos nas redes sociais!

Veja também