Preloader

Exportações do setor moveleiro cresceram 89,1% entre 2016 e 2021, e continuam em ritmo positivo

Buscando, dentro de uma agenda positiva, decifrar oportunidades para que as empresas moveleiras cresçam, apesar de um mercado que não vem oferecendo grandes possibilidades de expansão, Marcelo Prado, diretor do IEMI – Inteligência de Mercado, apresenta mais uma edição do Demanda em Foco Setor Moveleiro.

Entre suas diversas considerações, o especialista reforça o papel das exportações, que têm se tornado uma grande alternativa para as indústrias moveleiras nacionais. E, claro, dentro de um ambiente de concorrência internacional, “o melhor caminho para o Brasil, sem dúvida alguma, é a agregação de valor, o design brasileiro, a originalidade, a brasilidade”, reforça Prado.

“Criar esses valores e diferenciais, e levar isso para fora com o estilo brasileiro, de viver e de morar, agregando nossa natureza e cultura, terá muito mais valor e isso é algo que só nós podemos oferecer.”

Particularidades, estas, que vêm impulsionando as exportações brasileiras de móveis e colchões, que no ano passado superou a marca de US$ 932 milhões. Isto, apenas em produtos acabados. Ressaltando que entre 2016 e 2021, houve crescimento de 89,1% nas exportações moveleiras nacionais.

Veja estes e outros indicadores no Demanda em Foco Setor Moveleiro de hoje:

Veja também