Preloader

Transformação empresarial: valorizando habilidades internas para impulsionar a produtividade

Transformação empresarial: valorizando habilidades internas para impulsionar a produtividade

A pesquisa “Tendências Globais de Capital Humano 2023”, conduzida pela Deloitte, destaca que empresas que valorizam as habilidades dos profissionais, em vez de focar nos cargos, tendem a alcançar maior produtividade. Segundo 93% dos entrevistados, essa abordagem é essencial para o sucesso organizacional.

Com mais de 10 mil profissionais participantes de 105 países, incluindo 234 do Brasil, o estudo explora como as organizações enfrentam um novo cenário. Vamos discutir os impactos da tecnologia no desenvolvimento das equipes, a extinção dos cargos, o futuro do trabalho e estratégias para alcançar metas de sustentabilidade.

A pesquisa da Deloitte revela que executivos de alto escalão reconhecem a transformação nas regras de trabalho. Enquanto 87% concordam com a necessidade de definir novos fundamentos, apenas 24% consideram suas organizações prontas para lidar com essa mudança.

Foco em habilidades para maior produtividade no setor moveleiro

Na visão do Grupo Lopas, a constante busca das empresas por otimização de produtividade, especialmente no setor moveleiro, demanda avaliação precisa dos perfis comportamentais. Viviany Cristina da Silva Moura, gerente de RH da Móveis Lopas, destaca a importância dessa abordagem para mensurar assertivamente os talentos dos colaboradores. Essa estratégia inteligente permite extrair ao máximo as potencialidades individuais, proporcionando destaque nas funções em um contexto de alta demanda e tecnologia avançada.

“Cada ser humano tem uma história muito diferente, com uma origem ímpar, e por isso, é dotado de características individuais de comportamento, conduzindo distintamente as situações laborais de formas, mesmo atuando dentro do mesmo cargo ou função. Sabe aquela expressão ‘Fulano nasceu pra isso’? Ter essa percepção é uma das habilidades mais interessantes para o profissional de RH responsável pela contratação”, define.

Ela acredita que cada profissional esconde verdadeiros tesouros por trás do currículo, seja uma habilidade notável de liderança, uma capacidade impressionante de foco e execução, um comportamento motivador ou um talento excepcional de análise para elaborar organogramas. “Cada traço peculiar de personalidade precisa ser observado e bem aproveitado no setor, para que o trabalhador se sinta realizado em suas atividades e encaixado de modo a fazer o time crescer. Não há como falar de produtividade e não citar a autorrealização dos colaboradores”, destaca. 

Alinhando talentos com precisão

O Grupo Lopas considera fundamental conhecer cada profissional da empresa para posicioná-los adequadamente, de acordo com seu perfil. “Nossa equipe de contratação é interna por este motivo, porém, para cargos de alto escalão do setor executivo, contamos com serviços de headhunter para ter total certeza do sucesso da contratação”, afirma Viviany.

A empresa reconhece que os conhecimentos técnicos podem ser adquiridos internamente e devem ser constantemente atualizados. Por outro lado, as habilidades comportamentais têm um desenvolvimento gradual e tornam-se intrínsecas à personalidade, destacando a importância da análise comportamental no processo de contratação. A Móveis Lopas busca uma sinergia completa entre os setores, aproveitando ao máximo cada talento, com uma parceria sólida com o Grupo Larch, responsável pelos treinamentos de liderança. “Acreditamos que com líderes que encorajam o pensamento estratégico, priorizam o desenvolvimento pessoal, que possuem grande inteligência emocional, e que direcionem os membros da equipe com autoridade e gentileza, conseguiremos ir ainda mais longe!”, conclui.

Gabriela Medeiros, Thatiane Santana, Viviany Moura, Viviane Gomes membros da equipe de RH da Móveis Lopas: “Encante-se por cada detalhe”.
Gabriela Medeiros, Thatiane Santana, Viviany Moura, Viviane Gomes membros da equipe de RH da Móveis Lopas: “Encante-se por cada detalhe”.

A liderança é o maior desafio das lideranças

A liderança enfrenta desafios significativos, conforme revelado no estudo da Deloitte. A prontidão dos líderes para lidar com mudanças é uma barreira destacada, com metade dos entrevistados indicando dificuldades na identificação de prioridades devido à sobrecarga causada pelo volume e velocidade das mudanças.

Simultaneamente, a ascensão de tecnologias no ambiente de trabalho está impulsionando o desempenho humano. Mais de 50% dos trabalhadores veem de forma positiva o uso da Inteligência Artificial para coletar dados sobre suas habilidades, enquanto 80% estão dispostos a ter dados coletados sobre habilidades demonstradas.

Ativando o futuro do local de trabalho

Reimaginando o trabalho, as organizações enfrentam desafios ao abandonar mentalidades e práticas antigas. Projetar ambientes de trabalho que atendam às necessidades dos colaboradores e promovam o bem-estar torna-se fundamental.

As organizações precisam desafiar os limites tradicionais e projetar ambientes físicos, digitais ou híbridos que atendam às necessidades dos colaboradores. Dessa forma, estarão promovendo cultura, comunidade e trabalho em equipe.

Alavancando o poder dos colaboradores em tomadas de decisões 

O poder de influência dos empregados é vital para o sucesso organizacional, mas apenas 17% se sentem prontos para endossar essa tendência. Líderes precisam ver a força de trabalho como um ecossistema, incluindo não apenas empregados tradicionais, mas também não tradicionais, para desbloquear habilidades.

Avançando o elemento humano da sustentabilidade

Em relação à sustentabilidade empresarial, há uma lacuna entre reconhecer sua importância e a prontidão para abordá-la. Incorporar a sustentabilidade em todo o propósito e cultura do negócio é crucial, especialmente considerando o crescente interesse dos empregados em organizações que criam valor para a sociedade.

Liderar em um mundo sem fronteiras exige uma evolução na abordagem. A liderança torna-se menos sobre hierarquia e mais sobre o uso de insights, conexão com valores e ação. Enfrentar mudanças constantes exige agilidade. 94% dos entrevistados reconhecem a importância da liderança, mas apenas 23% acreditam que seus líderes estão preparados para navegar pelas atuais disrupções. Enxerga-se essa dinâmica como uma oportunidade para os líderes, incentivando uma abordagem ousada e comprometida com a criação do futuro organizacional.

Considerando esse tema, indicamos também a seguinte leitura:

Veja também