Minimalismo: como a tendência pode influenciar o design de móveis?

Minimalismo: como a tendência pode influenciar o design de móveis?

No dinâmico universo do design de móveis, as tendências desempenham um papel crucial na evolução estética e na funcionalidade dos produtos. Nos últimos anos, uma abordagem que tem ganhado destaque e conquistado corações é o minimalismo. Essa filosofia de design vai além de uma simples estética, se transformando em um estilo de vida que preconiza a simplicidade, funcionalidade e a valorização do essencial. Na matéria abaixo, você vai descobrir como o minimalismo tem influenciado o design de móveis, bem como os impactos da tendência no setor moveleiro. Boa leitura!

Em um cenário no qual a velocidade da mudança é constante, o setor moveleiro busca incessantemente inovações que não apenas atendam às necessidades práticas, mas também ressoem com as aspirações estéticas e filosofias de vida contemporâneas. 

Dentro desse panorama dinâmico, o minimalismo surge como uma força impulsionadora que transcende os limites convencionais do design de móveis. 

Menos é mais

Inspirado pela premissa de “menos é mais”, a tendência vai além do aspecto visual, chegando às estruturas conceituais e à experiência do usuário. 

Ao compreender como essa tendência influencia o design de móveis, é possível embarcar em uma jornada que transcende o tangível, explorando a conexão entre simplicidade, funcionalidade e a expressão da essência minimalista de cada peça.

Minimalismo: como a tendência pode influenciar o design de móveis?
No cenário do design de móveis, o minimalismo surge como uma força impulsionadora que transcende os limites convencionais do setor

Nesta matéria, que irá lhe apresentar a tendência minimalista e os impactos dessa filosofia para o design de móveis, você vai conferir:

  • O que é o minimalismo?
  • Como o minimalismo se manifesta no design de móveis?
  • Quais são os benefícios práticos do design minimalista em móveis?
  • Como as preferências do consumidor têm evoluído com relação ao minimalismo?
  • Quais desafios podem surgir ao implementar o minimalismo no design de móveis?
  • Como o minimalismo pode influenciar a decisão de compra no setor moveleiro?

O que é o minimalismo?

No centro do movimento minimalista está a busca pela essência e pela depuração do supérfluo. 

Esse estilo de design, que tem suas raízes no movimento artístico do século XX, transcende fronteiras. Isso significa que a tendência atinge áreas tão diversas quanto arquitetura, moda e, é claro, o design de móveis. 

Conforme explica Ana Paula Patussi, arquiteta formada pela UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) e especialista em ergonomia pela mesma instituição, a expressão “minimalismo” deriva do inglês “Minimal Art” e faz referência aos movimentos estéticos, científicos e culturais que surgiram em Nova York entre o final dos anos 1950 e o início dos anos 1960.

“Esses movimentos primavam pelo mínimo de recursos e elementos utilitários, reduzindo todos seus aspectos ao nível essencial”, destaca.

Como a tendência "menos é mais" pode influenciar o design de móveis?
Conforme explica Ana Paula Patussi, arquiteta formada pela UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), a expressão “minimalismo” deriva do inglês “Minimal Art”

Simplicidade: um dos princípios do minimalismo

Na essência do minimalismo, portanto, é possível encontrar a simplicidade como virtude central. Nesse cenário, cada forma, linha e elemento encontra sua manifestação no design puro e essencial. 

Assim, não se trata apenas de reduzir ornamentações, mas de cultivar uma harmonia entre forma e função. Nesse caso, cada componente desempenha um papel significativo na narrativa visual.

Linhas retas e limpeza visual

Segundo a consultora industrial Claudia Lens, na maioria das vezes, linhas retas e a limpeza visual sem muitos detalhes ou acessórios fazem parte de um design minimalista.

“Mesmo com essas características, acredito que, além do visual, podemos, ainda, contextualizar a otimização de materiais e processos que podem colaborar na sustentabilidade de um produto com maior valor agregado, gerando menos impacto para a cadeia como um todo”, conta.

Ao observar o minimalismo no contexto do design de móveis, é possível perceber que a tendência vai além da estética visível. Isso porque envolve a busca por linhas limpas, cores neutras e materiais cuidadosamente selecionados. Tudo isso ocorre em prol de criar peças que resistam ao teste do tempo.

O minimalismo, assim, se torna uma filosofia de vida manifesta em objetos, uma expressão tangível da elegância simplificada.

Minimalismo: como a tendência pode influenciar o design de móveis?
A consultora industrial Claudia Lens afirma que, na maioria das vezes, linhas retas e a limpeza visual sem muitos detalhes ou acessórios, fazem parte de um design minimalista

Como o minimalismo se manifesta no design de móveis?

A tradução do minimalismo no design de móveis se revela como uma perfeita relação entre forma e vazio, entre presença e ausência. 

Na tendência, cada linha é meticulosamente pensada para comunicar clareza, enquanto a ausência de elementos supérfluos cria espaços que não somente agradam visualmente, como também proporcionam uma sensação de calma e ordem. 

Características do minimalismo

Em linhas gerais, a arquiteta Ana Paula Patussi destaca como principais características do minimalismo no design de móveis:

– A apresentação de linhas retas, sem ornamentos ou detalhes desnecessários. A ênfase está na forma pura, na simplicidade da peça;

– O uso de materiais naturais, como madeira, metal e vidro, é comum na tendência. Em muitos casos, a textura natural desses materiais é explorada;

– O uso de cores neutras, como branco, preto, cinza e tons de madeira natural;

– A função é uma prioridade. Por isso, as peças são projetadas para serem práticas e eficientes, sem elementos desnecessários que possam complicar seu uso. O design, portanto, é focado no essencial. Assim, tende a ser intuitivo e de fácil entendimento, o que, na maioria dos casos, melhora a experiência do usuário;

– O uso de espaços negativos é, frequentemente, incorporado ao design de móveis minimalistas, o que cria a sensação de leveza e simplicidade.

Como a tendência "menos é mais" pode influenciar o design de móveis?
A tradução do minimalismo no design de móveis se revela como uma perfeita relação entre forma e vazio, entre presença e ausência

Protagonistas discretos

No minimalismo, os móveis se tornam protagonistas discretos nos ambientes, incorporando uma estética que transcende modismos passageiros.

A escolha consciente de materiais desempenha um papel crucial nessa manifestação. Ao optar por materiais que resistem ao teste do tempo, como madeiras nobres e metais refinados, o minimalismo no design de móveis busca durabilidade e atemporalidade. 

A paleta de cores, muitas vezes reduzida a tons neutros, realça a beleza intrínseca dos materiais e contribui para uma estética clean e serena.

Quais são os benefícios práticos do design minimalista em móveis?

Além da estética apurada, o design minimalista de móveis oferece uma série de benefícios práticos que ressoam com as demandas contemporâneas. 

“Enquanto aspecto filosófico, o minimalismo adequa às necessidades da vida aquilo que é realmente essencial, descartando as futilidades. No design de móveis, os princípios básicos do minimalismo são aplicados à forma, função e estética dos móveis”, explica Patussi.

A simplicidade do estilo, além de contribuir para espaços visualmente desimpedidos, facilita a integração harmoniosa em uma variedade de ambientes. 

A versatilidade inerente ao minimalismo permite que as peças se adaptem a diferentes estilos de decoração, tornando-as investimentos sólidos que podem transcender as tendências efêmeras.

Minimalismo: como a tendência pode influenciar o design de móveis?
A paleta de cores, muitas vezes reduzida a tons neutros, realça a beleza intrínseca dos materiais e contribui para uma estética clean e serena

Funcionalidade e minimalismo

Outro benefício notável é a funcionalidade aprimorada. Ao eliminar elementos desnecessários, o minimalismo foca na essência prática de cada móvel.

Conforme aponta a arquiteta, o design de móveis minimalistas busca criar espaços funcionais e elegantes, onde cada peça é cuidadosamente considerada e projetada para contribuir para uma estética globalmente harmoniosa e tranquila.

Isso não apenas simplifica a experiência do usuário, mas também responde à crescente necessidade de soluções eficientes em espaços cada vez mais compactos. 

“O  design minimalista é simples e objetivo, na maioria das vezes, o foco está na funcionalidade do produto, que tem o objetivo de atender ao máximo a necessidade de espaço e utilidade, mas sem abrir mão do apelo visual. A elegância na estética limpa e contemporânea transformam o estilo e o uso do produto em propósito”, concorda a consultora industrial Claudia Lens.

Processo de produção enxuto

Outro fator destacado pelo designer Sergio Batista, que tem mais de 30 anos de experiência no setor moveleiro e é diretor da Know How Assessoria e Design, consiste na produção de peças com menos materiais e o processo é mais enxuto.

Móveis minimalistas, portanto, além de ocupar menos espaço físico, oferecem uma sensação de leveza visual, contribuindo para uma atmosfera equilibrada e descomplicada nos ambientes em que estão inseridos.

Como a tendência "menos é mais" pode influenciar o design de móveis?
O designer Sergio Batista, que tem mais de 30 anos de experiência no setor moveleiro e é diretor da Know How Assessoria e Design, destaca a produção de peças com menos materiais e o processo mais enxuto

Como as preferências do consumidor têm evoluído com relação ao minimalismo?

​​A evolução das preferências do consumidor no cenário moveleiro reflete uma crescente afinidade pelo minimalismo, uma escolha que vai além da estética para abraçar um estilo de vida mais descomplicado. 

“Sob a primícia de uma melhor qualidade de vida, mais sustentabilidade, as pessoas têm tentado trocar o consumo descontrolado por um consumo consciente, comprando apenas o que de fato é necessário e importante para elas, consumindo produtos mais duradouros e de maior qualidade”, destaca Patussi.

Isso significa que os consumidores contemporâneos, inundados por uma multiplicidade de estímulos visuais, buscam refúgio na simplicidade oferecida pelo minimalismo. 

Designs atemporais e duradouros

A preferência por móveis que transcendem o efêmero das tendências, investindo em designs intemporais e duradouros, é uma manifestação clara dessa mudança de mentalidade.

“Acredito que, com as várias situações que passamos nos últimos anos, fez aflorar nas pessoas um pouco mais dessa pegada minimalista, onde a atenção fica mais voltada para coisas que realmente fazem sentido, todo e qualquer desperdício ou mal uso de tempo, espaço e material tem sido amplamente analisado na hora de adquirir um produto, temos uma “persona” que manifesta cada vez mais a preferência por um estilo de vida sustentável”, explica Lens.

Minimalismo: como a tendência pode influenciar o design de móveis?
Os consumidores contemporâneos, inundados por uma multiplicidade de estímulos visuais, buscam refúgio na simplicidade oferecida pelo minimalismo

Conscientização ambiental, sustentabilidade e minimalismo

Além disso, a conscientização ambiental desempenha um papel significativo nas escolhas dos consumidores. 

A busca por produtos sustentáveis ganha destaque, e o minimalismo, com sua ênfase na durabilidade e na atemporalidade, alinha-se de maneira natural a essa preocupação. 

“É importante destacar que não existe certo ou errado quando se trata de minimalismo. Afinal, cada indivíduo tem sua própria medida do que significa consumir com consciência, reaproveitando tudo o que for possível e causando o menor impacto a partir desse consumo”, ressalta a arquiteta Ana Paula Patussi.

Os consumidores estão cada vez mais inclinados a investir em peças que não apenas resistem ao teste do tempo estilisticamente, mas que também contribuem para a sustentabilidade ambiental.

“Combinar minimalismo e sustentabilidade não só é possível, como é fundamental. O minimalismo não é pautado somente na estética, já que o uso consciente de materiais e processos aliados ao design está totalmente ligado à práticas de ESG que se tornou um conceito fundamental para muitas empresas, que buscam equilibrar os interesses financeiros com preocupações mais amplas relacionadas ao meio ambiente, à sociedade e à ética nos negócios”, salienta Claudia Lens.

Preço da peças

Além dos aspectos destacados pela arquiteta e pela consultora industrial, o designer Sergio Batista chama atenção para o preço dos móveis minimalistas.

“O meu ponto de vista vai de encontro ao preço do produto, já que esse fator influencia bastante essa preferência, porque vamos lembrar: o consumidor já vive essa experiência do minimalismo, de ter uma vida mais despojada, de não se preocupar muito. Então isso norteia muito o seu viver e reflete na aquisição dos produtos.”

Como a tendência "menos é mais" pode influenciar o design de móveis?
Os consumidores estão cada vez mais inclinados a investir em peças que não apenas resistem ao teste do tempo estilisticamente, mas que também contribuem para a sustentabilidade

Quais desafios podem surgir ao implementar o minimalismo no design de móveis?

Embora o minimalismo no design de móveis ofereça uma abordagem envolvente, não está isento de desafios intrínsecos. Um dos principais obstáculos reside na precisão essencial para equilibrar a simplicidade com a funcionalidade. 

De acordo com Patussi, o equilíbrio entre a simplicidade estética do design minimalista e a funcionalidade prática do móvel pode ser um desafio. “É importante garantir que, ao simplificar o design, não se sacrifique a utilidade ou o conforto do produto.”

Design original

A eliminação de elementos decorativos pode, por vezes, conduzir a uma linha tênue entre a estética minimalista e a monotonia, exigindo uma cuidadosa consideração para manter o equilíbrio entre a forma e a utilidade prática.

“Com a popularidade crescente do design minimalista, as empresas deveriam criar uma identidade de design única para seus produtos, de forma a garantir seu público fiel. Também é de suma importância que se tenha cuidado com a manutenção da integridade do design original em todas as etapas do processo”, aponta Patussi.

Seleção de materiais

Outro desafio reside na seleção criteriosa de materiais, uma vez que o minimalismo muitas vezes se associa a uma paleta reduzida e a uma ênfase na qualidade. 

A escolha inadequada de materiais pode comprometer não apenas a durabilidade das peças, mas também a sua capacidade de transmitir a elegância desejada. 

“Maximização do uso de matéria-prima e minimização do desperdício devem ser considerados durante todo o processo de produção, o controle da geração de resíduos deve ser eficiente, gerenciado de forma sustentável”, destaca a arquiteta.

Assim, o processo de implementação do minimalismo no design de móveis exige uma atenção meticulosa aos detalhes, desde a seleção dos materiais até a execução precisa, assegurando que a pureza conceitual do minimalismo seja preservada sem sacrificar a integridade estrutural ou funcionalidade das peças.

Minimalismo: como a tendência pode influenciar o design de móveis?
Embora o minimalismo no design de móveis ofereça uma abordagem envolvente, não está isento de desafios

Cultura de produção

Além disso, a consultora industrial Claudia Lens aponta que um dos principais desafios está sempre relacionado à cultura. “Uma fábrica é feita de gerações, em alguns casos, geração que vem de um tempo diferente, onde tínhamos abundância, em todos os sentidos, a competitividade era menor, e a liberdade de uso e aplicação dos materiais era maior.”

A especialista destaca que, com o tempo, esse cenário foi se alterando e gerando um misto de necessidade e oportunidade, o que fez com que, hoje, o cenário se tornasse muito mais competitivo, porém, com máquinas, equipamentos e sistemas muito mais preparados.

“É aí que está a nossa quebra de paradigmas: preparar a estrutura e treinar pessoas, estudar o mercado e trabalhar em um design de resultado podem colaborar”, pontua Lens.

Como o minimalismo pode influenciar a decisão de compra no setor moveleiro?

A influência do minimalismo nas decisões de compra no setor moveleiro vai além do simples apelo estético, já que se torna um fator decisivo na busca por significado e propósito. 

“O minimalismo não significa não comprar, mas fazê-lo de forma mais intencional e menos impulsiva. O segredo está em investir em qualidade para que os produtos propostos durem mais”, orienta Ana Paula Patussi.

Função prática e valor estético

Os consumidores, cada vez mais inundados por opções, buscam móveis que não apenas sirvam a uma função prática, mas que também acrescentem um valor estético e simbólico aos seus espaços. 

O minimalismo oferece uma resposta a essa demanda, proporcionando não apenas peças de mobiliário, mas declarações de estilo que transcendem as flutuações das tendências passageiras.
“O modo como cada indivíduo escolhe viver faz com que ele procure algo conforme o seu pensamento, sua convivência. Nesse caso, o minimalismo pode ser traduzido como liberdade, desapego ou a filosofia no stress, o que vai fazer com que o consumidor vá sempre procurar algo com o que se identifique”, pontua Batista.

Como a tendência "menos é mais" pode influenciar o design de móveis?
A influência do minimalismo nas decisões de compra no setor moveleiro vai além do simples apelo estético, já que se torna um fator decisivo na busca por significado e propósito

Redução do ruído visual

A simplicidade do minimalismo ressoa com a necessidade contemporânea de redução do ruído visual e da busca por ambientes tranquilos. 

A decisão de compra é, muitas vezes, impulsionada pelo desejo de criar lares que sirvam como refúgios. Nesse cenário, os móveis minimalistas, ao incorporarem uma estética descomplicada e funcionalidade refinada, atendem a essa aspiração.

“Essa é a hora e a vez de ter um setor de vendas e marketing fortalecidos e transparente. Precisa ficar claro para o cliente que a contribuição daquele produto vai além da estética. Nesse caso, dificilmente vamos conseguir fidelizar um cliente somente por atributos já convencionais. Preço e qualidade, por exemplo, são premissas e devem estar intrínsecos. Já a responsabilidade social e ambiental demonstram compromisso com um futuro mais sustentável e ético”, finaliza Claudia Lens.

Veja também