Preloader

Previsões para o setor moveleiro em 2024, de acordo com Marcelo Prado, diretor do Iemi

O que esperar do setor moveleiro em 2024, de acordo com Marcelo Prado, diretor do Semi

À medida que um novo ano começa, gestores e empreendedores do setor moveleiro enfrentam um cenário dinâmico e repleto de desafios, mas também repleto de oportunidades. Para fornecer as previsões para o setor moveleiro em 2024, o quadro Vitrine Setor Moveleiro buscou a expertise de Marcelo Prado, diretor do Iemi – Inteligência de Mercado, cujo conhecimento abrangente e análises perspicazes têm sido referências cruciais para o setor ao longo dos anos.

Nesta terça-feira (9), o canal Setor Moveleiro recebe, em seu quadro Vitrine Setor Moveleiro, o economista Marcelo Prado, que é diretor do Iemi – Inteligência de Mercado, empresa especializada nas indústrias têxtil, moveleira, de calçados e de colchões.

Ao longo da entrevista, o especialista oferece aos gestores da área análises valiosas sobre o mercado moveleiro nos anos de 2022 e 2023. Os dados e as avaliações fornecidas são essenciais para a formulação das previsões e dos insights para o setor em 2024, apresentadas por Prado na sequência.

Nos últimos anos, o setor moveleiro testemunhou uma série de transformações notáveis. Em um contexto pós-pandêmico, é possível observar uma adaptação ágil e inovadora por parte das empresas, que buscaram novas estratégias para atender às demandas do consumidor em constante evolução. 

Análise do mercado moveleiro em 2022 e 2023

Prado inicia sua análise ao relembrar do período pandêmico, que trouxe impactos significativos para toda a economia mundial.

“Na primeira onda da pandemia, as pessoas se assustaram e tudo parou. Isso reativou ou até mesmo criou uma demanda reprimida, que foi, inclusive, impulsionada pelo home office, de consumo de bens duráveis relacionados à casa, o que abrange móveis, colchões e outros itens, como eletrodomésticos e materiais de construção”, pontua.

Neste cenário, foi possível constatar, ainda, um crescimento substancial no comércio on-line de móveis, catalisado por mudanças nos hábitos de compra e na preferência por experiências virtuais. 

A partir de 2022, conforme a análise de Prado, esse cenário se esgotou diante das mudanças vivenciadas pelo Brasil e pelo mundo no período pós-pandêmico, sobretudo no que se refere à taxa de inflação, que apresentou um aumento significativo.

“Isso obrigou o Banco Central a tomar medidas bastante restritivas no que se refere a termos financeiros, o que levou a uma alta dos juros. Esse cenário impacta diretamente o consumo”, explica o economista.

Segundo o especialista, em 2022, o Brasil observou uma intensa desaceleração nos números relacionados ao consumo. Com a chegada do ano seguinte – 2023 -, a expectativa do mercado era que o cenário voltasse ao normal, o que não aconteceu.

“2023 foi um ano difícil e, no início do primeiro trimestre, tivemos o caso das lojas Americanas, o que impactou demais o setor varejista.”

Previsões para o setor moveleiro em 2024, de acordo com Marcelo Prado, diretor do Iemi
Marcelo Prado pontua que o ano de 2024 marca a “volta à normalidade”, sobretudo em comparação ao cenário trazido pela pandemia e pelo período pós-pandêmico

Previsões para o setor moveleiro em 2024

A análise de dados realizada pelo Iemi – Inteligência de Mercado permite apontar os principais insights e previsões para o setor moveleiro neste ano. De acordo com Prado, todas as variáveis, o que inclui o PIB (Produto Interno Bruto) e a diminuição do índice de pessoas endividadas, sugerem um crescimento do mercado, mesmo que pequeno.

“A expectativa é que, ao longo de 2024, haja um crescimento de 2% no varejo. Para a produção, esperamos um aumento de 1.8%, número bastante similar. Em termos de valores, no que se refere ao faturamento, há expectativa de aumento de 6.1% para o varejo e de 5.7% para as indústrias”, aponta o economista.

O especialista pontua, ainda, que o ano de 2024 marca a “volta à normalidade”, sobretudo em comparação ao cenário trazido pela pandemia e pelo período pós-pandêmico. Prado explica que, para os próximos meses, não são esperados problemas de abastecimento de matérias-primas e de poder de consumo para a população.

Desafio para as empresas

Segundo os dados coletados, conforme pontua Prado, 2024 irá trazer desafios para as empresas do setor moveleiro, sobretudo devido ao pequeno crescimento esperado para o varejo e para as indústrias.

“Se o mercado vai crescer 2% em termos de volume e a empresa quer crescer mais que isso, todo o desafio vai para o empresário. Caberá a ele criar estratégias de crescimento que permitam que a empresa performe melhor do que o mercado. Nesse cenário, o empresário vai precisar de muitas informações para tomar decisões corretas, já que as oportunidades estão aí.”

Como as empresas do setor moveleiro podem driblar esse cenário complexo?

Apesar de um crescimento estar previsto tanto para o varejo quanto para as indústrias do setor moveleiro, os cenários econômico e político – tanto no Brasil quanto no mundo – são considerados complexos.

Para enfrentar os desafios, as empresas devem, de acordo com o economista, investir em inteligência de mercado, fator que será essencial para a elaboração de um planejamento estratégico.

“O Brasil tem um mercado enorme e o líder de mercado no País não tem poder para impedir o crescimento dos seus concorrentes, diferente do que acontece com o mercado de refrigerantes, por exemplo, que tem uma, duas ou três empresas dominantes”, explica.

Todas as informações e análises sobre o cenário anterior do setor moveleiro – em 2022 e 2023 -, bem como as previsões e os insights para o próximo ano, podem ser conferidos no vídeo publicado no quadro Vitrine Setor Moveleiro.

Assista ao material e tenha acesso a dados valiosos que, sem dúvidas, irão te auxiliar ao longo de 2024:

[yotuwp type=”videos” id=”8h0F_3Kd0aU” ]

Veja também