Preloader

Equilíbrio entre vida e trabalho: a chave para reter talentos no setor moveleiro

Equilíbrio entre vida e trabalho: a chave para reter talentos no setor moveleiro

As necessidades e interesses dos colaboradores estão em constante evolução. Questões como salário, equilíbrio entre vida pessoal e profissional, e progressão de carreira estão passando por uma redefinição e desempenhando um papel fundamental na satisfação dos funcionários. Segundo o ‘Estudo de Marca Empregadora 2023’ da Randstad, também observamos que os benefícios não financeiros estão ganhando cada vez mais importância para os trabalhadores.

O setor moveleiro deve estar atento a essas tendências, uma vez que a escassez de mão de obra persiste e tem impactos negativos no desenvolvimento das empresas. Esse desafio foi destacado durante o ‘Giro pelos Polos’, e você pode obter mais informações clicando no link a seguir:

Nesta matéria, exploraremos estratégias para a retenção de talentos dentro da sua empresa e abordaremos as tendências em constante evolução nas necessidades dos colaboradores. Para enfrentar a falta de mão de obra e atrair e reter talentos no setor moveleiro, é fundamental que as empresas adotem estratégias inteligentes, incluindo benefícios não financeiros.

Benefícios não financeiro para reter talentos

Benefícios não financeiro para reter talentos

Progressão de Carreira

A progressão de carreira é um dos principais motivos que levam os profissionais a deixar seus empregos em todo o mundo. Para aumentar a retenção, os empregadores devem oferecer planos de carreira sólidos e investir em qualificação e requalificação de sua força de trabalho. Isso apoia o crescimento profissional e mantém os funcionários engajados dentro das organizações.

Equilíbrio entre vida pessoal e profissional

Embora ocupe a quinta posição entre os principais atributos de um empregador no Brasil, o equilíbrio entre vida pessoal e profissional merece atenção especial. Isso ocorre porque lidera a lista dos motivos pelos quais os profissionais buscam ativamente novas oportunidades de emprego. (Veja o gráfico abaixo)

Salários competitivos

A remuneração é um fator crítico para a retenção de talentos. Os salários devem acompanhar a inflação e serem competitivos em relação ao mercado. A falta de oportunidades de desenvolvimento profissional e remunerações inadequadas estão entre as principais razões para a saída de colaboradores, e os empregadores precisam melhorar nesses aspectos.

Benefícios não materiais

Pesquisas mostram que os benefícios não materiais são altamente valorizados pelos colaboradores. No Brasil, 88% consideram esses benefícios relevantes ao escolher um empregador, especialmente as mulheres. Os empregadores devem incluir tanto benefícios materiais quanto não materiais em suas ofertas de emprego.

Investimento em treinamento

Oferecer oportunidades de qualificação e requalificação é fundamental. Isso não apenas ajuda a suprir a escassez de mão de obra qualificada, mas também demonstra comprometimento com o crescimento e desenvolvimento de seus funcionários.

Portanto, a retenção de talentos e a resolução da falta de mão de obra no setor moveleiro exigem uma abordagem abrangente que inclui benefícios não financeiros, equilíbrio entre vida pessoal e profissional, salários competitivos e investimento em treinamento. As empresas que adotarem essas estratégias estarão bem posicionadas para atrair, reter e desenvolver os profissionais talentosos necessários para impulsionar o crescimento e a inovação no setor moveleiro.

razões para deixar o emprego

A falta de equilíbrio entre vida pessoal e profissional, bem como salários que não acompanham a inflação, são as principais razões pelas quais os colaboradores optam por deixar seus empregos. Surpreendentemente, mais de um terço (37%) dos profissionais brasileiros considerariam deixar seus empregos em busca de um melhor equilíbrio entre vida pessoal e profissional. 

A remuneração inadequada, em relação ao aumento do custo de vida, juntamente com a falta de oportunidades de desenvolvimento profissional, resumem os três principais motivos pelos quais os colaboradores estão se demitindo. É preocupante notar que o desempenho atual dos empregadores em relação a esses três aspectos é amplamente avaliado como insatisfatório, representando um sério risco para a retenção de talentos.

Elevando o Setor Moveleiro

À medida que o setor moveleiro enfrenta a desafiadora falta de mão de obra, as empresas devem adotar uma abordagem holística para a retenção de talentos. Dessa forma, questões como o equilíbrio entre vida pessoal e profissional, salários competitivos e oportunidades de desenvolvimento farão essas empresas atrairem profissionais mais qualificados. Além disso, também demonstram um compromisso genuíno com o bem-estar e o crescimento de seus funcionários.

O caminho para superar a escassez de mão de obra não é fácil, mas é alcançável. As empresas que investem no desenvolvimento de sua equipe, promovem um ambiente de trabalho equilibrado e mantêm uma remuneração competitiva terão uma vantagem significativa. Assim, sendo essas estratégias implementadas com sucesso, o setor moveleiro poderá prosperar, criar produtos excepcionais e se destacar no cenário global.

Você poderá gostar de ler também:

Veja também