Preloader

Setor Moveleiro e Consulting Now anunciam parceria para consultorias em gestão empresarial

Setor Moveleiro e Consulting Now anunciam parceria para consultorias e gestão empresarial

O Setor Moveleiro inicia 2024 com uma aliança estratégica destinada a revolucionar a gestão empresarial. Carlos Bessa, renomado CEO da plataforma, une-se à Consulting Now, aportando mais de três décadas de experiência na cadeia de móveis. Sua vasta bagagem será agora direcionada de maneira estratégica para impulsionar o desenvolvimento das empresas do setor, promovendo inovação, superando desafios e alcançando novos patamares de eficiência em consultorias. Esta parceria marca o início de um ano promissor para o Setor Moveleiro.

Como idealizador e fundador da plataforma de conteúdo Setor Moveleiro, Carlos Bessa, detentor de um MBA em Gestão Estratégica de Vendas e pós-graduação em Administração de Marketing, inaugura um novo ciclo de consultoria especializada. Com uma vasta experiência nacional e internacional, participou ativamente das principais feiras de móveis ao redor do mundo e ocupou o cargo de secretário-geral da IAFP (International Alliance Furniture Press).

Na Consulting Now, Carlos Bessa concluiu um treinamento especializado em estratégias e processos, qualificando-se como franqueado da rede. Seu foco e ênfase estarão especialmente voltados para consultorias no setor moveleiro, prometendo impulsionar o sucesso e a eficiência das empresas envolvidas.

Gestão empresarial especializada em estratégias e processos para o setor moveleiro

A Consulting Now, uma empresa de Consultoria em Gestão Empresarial do Grupo InterMaster com mais de 29 anos de trajetória, possui uma rede de 65 escritórios e mais de 300 cases de sucesso atendidos. Leia nesta matéria, um resumo da entrevista para o Vitrine Setor Moveleiro com a visão estratégica de Renato Bretzke, diretor da unidade Consulting Now de Curitiba e master franqueado no Paraná e Santa Catarina.

Ele destaca os desafios enfrentados pelo setor moveleiro, como a variável cambial e a concentração de empresas no eixo Sul-Sudeste. “É um mercado que está há praticamente uma década estagnado. Ele tem alguns anos com leve crescimento, outros com uma queda, e não tem conseguido se desenvolver na mesma medida que outros mercados”, avalia.

Renato Bretzke, Diretor da Consulting Now Unidade Curitiba, Master franqueado e responsável técnico pelos projetos técnicos e gestão empresarial de PR/SC
Renato Bretzke, Diretor da Consulting Now Unidade Curitiba, Master franqueado e responsável técnico pelos projetos técnicos e gestão empresarial de PR/SC.

Baixo nível de renovação tecnológica 

Bretzke também observa a baixa renovação tecnológica. “Nós temos um investimento em torno de 1,8%, próximo de dois, de renovação de investimento na infraestrutura. Se essa situação se perpetuar a um longo prazo, acabamos tendo um sucateamento da indústria. E esse sucateamento leva a mais custos de manutenção, mais horas de máquinas paradas e menos eficiência, o que corrói as margens da empresa”, afirma.

Quanto a oportunidades de melhoria de eficiência, o consultor enxerga a possibilidade de consolidação para grande parte de indústrias de pequeno e médio porte. “O que é consolidação? Empresas que acabam comprando ou formando joint venture com outras, e assim tornam-se grupos mais relevantes para a economia”, disse.

Ele sugere a possibilidade de se estabelecer uma rede nacional, por exemplo, onde duas, três ou quatro empresas em localidades geográficas distintas se unem para criar uma empresa mais forte, mais eficiente e com melhores condições de competição. 

Baixo ticket médio da indústria

O diretor aponta o baixo ticket médio da indústria moveleira brasileira, destacando a necessidade de desenvolver produtos que atendam a esse mercado. “O gasto per capita comparado com países europeus, com o Europa e asiáticos, inclusive com alguns outros da América Latina, é muito baixo. Se não me engano, ele está na casa dos 50 dólares por ano. Então, numa família média de três pessoas no Brasil, a gente pode estimar que há um consumo de menos de mil reais em móveis por ano para uma casa”, destaca.

Renato Bretzke lembra que na pandemia foi possível ver a força que o setor moveleiro pode ter quando muda o status. “Os home offices fizeram com que várias empresas tivessem sucesso em desenvolver produtos adequados com home offices e assim ter eficiência”, aponta.

Canais de distribuição

“Estudos têm mostrado uma cadeia focada em meios de produção, enquanto os meios de distribuição, ainda existe uma dependência muito grande das lojas físicas”, alerta. Por isso, ele destaca a importância de inovações nos canais de distribuição para melhorar a experiência do consumidor.

“Se olharmos o que houve de inovação nas lojas físicas nos últimos 10 anos, é muito pouco. Tirando aspectos talvez de fachada ou vinculados à localização, no entanto, se tirar uma foto em 15 anos atrás e de hoje as lojas vão ser muito parecidas”, avalia.

Enquanto fora do Brasil já se vê conceitos de store-in-store, de autoatendimento e com isso, permite-se escolhas já com a realidade virtual para entender como esses produtos vão estar na sua casa. Na sua opinião, gerar experiências aos consumidores faz com que haja uma motivação e impulso de compra maiores. 

“Então é um setor desafiador? sim, mas ele é um setor que precisa estar em constante renovação. E essa renovação é que precisa estar no DNA da indústria”, considera.

Ciclo financeiro muito longo na cadeia

Renato Bretzke enfatiza a importância da eficiência nos processos da indústria moveleira, considerando o ciclo financeiro longo e os desafios administrativos. Ele destaca a necessidade de um olhar crítico para tornar a indústria mais eficiente. “A eficiência tem que ser uma obstinação em todos os processos, produtivos, logísticos, estoques, a redução de estoques, e fazer com que a sua velocidade de produção seja muito grande, para poder atender um consumo cada vez mais por impulso”, disse.

A indústria moveleira tem um ciclo financeiro muito longo. “O comércio faz praticamente um consórcio na indústria moveleira. E esse custo acaba corroendo as margens. O comércio tende a repassar esse prazo do ciclo financeiro para as indústrias que, por sua vez, também não têm uma estrutura de capital tão alta. E a indústria de base da matéria-prima acaba não dando os mesmos prazos. Então, esse ciclo financeiro também precisa ser equilibrado através da eficiência”, alerta.

Olhar crítico para se tornar mais eficiente

“A maioria das vezes, o que o empresário vê, é apenas uma empresa que não está dando o lucro suficiente”, conta Bretzke.

Ele fornece como exemplo ilustrativo, uma empresa lucrativa, mas que, ao aumentar seus estoques sem um bom controle, torna-se inadimplente. Outra situação é quando uma empresa financia lojas sem uma análise de crédito eficiente, resultando em inadimplência e problemas de caixa. Ou ainda, uma empresa que negligencia seus processos de compras e uso de materiais, levando a desperdícios e prejuízos decorrentes de retrabalho e falta de qualidade.

De acordo com Renato Bretzke custos ainda é um grande desafio para as empresas e existem hoje métodos muito bons para a indústria moveleira de precificação. “Precisa de muita disciplina, mas é possível entender muito claro qual é a precificação e custos, todo o custo operacional e também toda a sua estrutura comercial. Porque não adianta ser eficiente internamente, se não é eficiente na venda para o cliente”, relata. 

Diagnóstico de gestão empresarial Consulting Now

O diagnóstico visa criar um laudo técnico profundo sobre o atual estado da empresa. Para isso, são abordados aspectos como endividamento, custos associados, questões tributárias, estrutura organizacional, processos financeiros, controles, custos operacionais e estrutura comercial. Este trabalho aprofundado, demandando de 200 a 300 horas, proporciona ao empresário um quadro claro sobre a situação da empresa.

A partir desse diagnóstico, o empresário pode tomar decisões informadas, seja optando por prosseguir de forma independente ou contratando uma consultoria para implementar um projeto. Esse projeto pode se desdobrar em duas vertentes principais: uma focada na recuperação de lucros para empresas com baixa margem ou situações de caixa negativo, visando garantir a sobrevivência. Enquanto outra, voltada para processos que viabilizam a expansão, considerando estratégias e o desenvolvimento de estruturas que permitam um crescimento saudável da empresa.

metodologia Consulting Now

Perspectivas otimistas para o futuro do setor moveleiro

O diretor da Consulting Now, demonstra-se extremamente otimista em relação ao futuro do setor moveleiro. “Podemos observar empresas de tamanho semelhante no mesmo setor, algumas alcançando grande sucesso, enquanto outras enfrentam sérias dificuldades. Isso ressalta que a principal diferença não reside em variáveis externas ou incontroláveis, mas principalmente nas variáveis internas, naquilo que podemos controlar”, afirma.

No Vitrine Moveleira, Renato Bretzke também fala sobre tendências de futuro para o comércio de móveis e relações com o consumidor. Além do mercado para exportação que apresenta características distintas. Assista ao vídeo na íntegra, com essa entrevista imperdível, em nosso canal no YouTube.

Veja também