Preloader

Tecnologia que aprende com os consumidores, também ensina a vender mais e melhor

Tecnologia que aprende com os consumidores, também ensina a vendar mais e melhor - Plataforma Setor Moveleiro

“A tecnologia certa é econômica, oferece uma melhor escolha e dá aos consumidores a oportunidade de personalizar suas experiências.” É assim que a Federação Nacional do Varejo dos Estados Unidos sintetizou muito do que foi apresentado na NRF 2023, que ocorreu de 15 a 17 de janeiro, em Nova York, reunindo mais de 35 mil participantes e 350 palestrantes para descobrir e discutir as novas inspirações, tecnologias e parcerias que vêm transformando a forma de vender e comprar ao redor do mundo. 

Se você não leu nosso último conteúdo sobre as tendências para o varejo destacadas por lá, CLIQUE AQUI

“Compreender o produto e o consumidor em conjunto permite aos varejistas proporcionar experiências excepcionais que estimulam a afinidade com o cliente”, disse Richard Dickson, presidente e diretor de operações da Mattel. Para isso, a Saks OFF 5th, por exemplo, vem investindo significativamente para fornecer ofertas de tecnologia como seu aplicativo e programa de fidelidade para impulsionar o engajamento e a retenção. “A partir de uma perspectiva digital, o consumidor nos dá uma quantidade incrível de dados através da busca”, pontuou Paige Thomas, presidente e CEO da empresa, durante seu discurso de abertura.

A tecnologia certa para o varejo

De fato, a tecnologia certa facilita a vida dos clientes, além de ter um impacto importante na produtividade dos colaboradores. Pemitindo, então, que, seja na linha de frente ou nos escritórios corporativos, estes trabalhem menos e de maneira mais objetiva.

O CEO da Pilot Company, Shameek Konar, ecoou esse sentimento: “Quanto mais tecnologia puder ser implementada para liberar o tempo dos colaboradores, melhor será a experiência”. Ele ressaltou que 46% das transações da varejista acontece via autocontrole, com seus colaboradores passando o tempo, então, ajudando os clientes de forma mais eficiente.

Pensando nisso, Dan Berthiaume, um reconhecido especialista em tecnologia de varejo nos Estados Unidos, separou três soluções bastante reverberadas na NRF 2023 e que valem nossa atenção!

Digital twins

Os “digital twins” ou “gêmeos digitais” são modelos virtuais interativos de ambientes, produtos e/ou fluxos de trabalho físicos. Eles estão se tornando ferramentas cada vez mais populares para que os varejistas realizem testes digitais, verifiquem a conformidade e detectem problemas antes de implementar mudanças no “mundo real”.

Em um exemplo notável de como os varejistas estão atualmente utilizando a tecnologia de gêmeos digitais, a Lowe’s revelou ter usado do recurso em duas de suas lojas. A gigante dos itens para melhoria doméstica está aproveitando a tecnologia da Nvidia para criar réplicas digitais fotorealistas das lojas, possibilitando com que os funcionários visualizem e interajam com quase todos os dados digitais disponíveis. 

A solução digital da Lowe funde dados espaciais com outros dados do varejo, incluindo a localização de produtos e informações de  históricos de pedidos. Unindo, assim, tudo isso em um pacote visual ao qual os colaboradores podem ter acesso em uma gama de dispositivos, incluindo computadores de mesa e fones de ouvido Magic Leap 2 de realidade aumentada. 

Como resultado, a equipe pode realizar tarefas virtuais, como verificar a precisão do inventário, reunir e visualizar informações sobre itens de difícil acesso, bem como testar mudanças na colocação / posicionamento de produtos.

Em entrevista exclusiva à Chain Store Age, Liza Amlani, diretora do Retail Strategy Group, disse que os varejistas também podem aplicar a tecnologia digital twin para economizar tempo e despesas em seu processo de desenvolvimento e amostragem física de produtos, por exemplo. 

Sustentabilidade na cadeia de abastecimento

Um número crescente de varejistas está adotando uma variedade de soluções que lhes permitem operar cadeias de fornecimento mais sustentáveis. Embora os dados sejam mistos, muitas pesquisas recentes indicaram que os consumidores preferem fazer negócios com varejistas que têm operações sustentáveis.

Em um desses esforços, a cadeia de lojas de departamento Macy’s está implantando a tecnologia de auto-boxer e auto-bagger, o que lhe permite criar embalagens únicas com itens ímpares ou sobredimensionados, e reduzir o volume e o desperdício de embalagens, como de caixas, em até 50%. A Macy’s também lançou um programa para usar a tecnologia RFID (identificação por radiofrequência) para rastrear a participação e o peso da reciclagem de papelão das lojas como parte de seu objetivo de aumentar as taxas de reciclagem das lojas para 80% até 2025.

Enquanto isso, o varejista de calçados e acessórios ecológicos Rothy’s está utilizando a tecnologia de Gestão de Ciclo de Vida do Produto (PLM) para revisar o projeto, fabricação e distribuição de seus produtos. A solução fornece à Rothy’s um repositório digital central, assim como os meios para colaboração remota e trabalho à distância completo, que foi utilizado extensivamente sobretudo durante a pandemia COVID-19.

A Rothy’s também planeja alavancar sua plataforma PLM para ajudar a atingir seu objetivo de fornecer produtos circulares. Acrescentando rótulos circulares e instruções para reciclagem em fim de vida útil.

Inteligência Artificial, AI, IA… só se fala em uma coisa! - Plataforma Setor Moveleiro

Machine learning

A máquina que aprende, mas também que ensina. Machine learning (ML) é um subconjunto de inteligência artificial (IA) que analisa padrões em dados para “aprender” e se adaptar de forma semelhante aos humanos. A tecnologia pode até ainda não ser uma solução de varejo de rotina, mas está surgindo com cada vez mais frequência no varejo.

Um exemplo é a tecnologia Just Walk Out, possibilitada por uma combinação de visão computacional, fusão de sensores e aprendizado profundo. Concedendo, assim, a opção dos clientes entrarem, pegarem o que quiserem e pularem o caixa no fim das compras. 

No caso da tecnologia de compras Just Walk Out sem fricção da Amazon, por exemplo, essa implementa sensores, ótica e algoritmos de machine learning. Como resultado, a empresa reduziu o número de câmeras necessárias nas lojas habilitadas com esta solução para torná-las mais econômicas, menores e capazes de operar redes profundas localmente. Os sensores e algoritmos da Just Walk Out também evoluíram para detectar uma ampla gama de produtos e diferenças no comportamento de compras em lojas de tamanho normal.

Além disso, considere como a Walgreens está alavancando as capacidades ML da tecnologia de gerenciamento de estoque da Blue Yonder para melhorar a precisão do estoque, encolher e enviar. A marca usufrui do machine learning para ver qual é a taxa provável de atendimento, bem como para apoiar o aumento sustentado no uso de recursos de compras omnichannel, tais como buy-online-pickup-in-store (BOPIS), curbside pickup e entrega no mesmo dia, que começou durante a pandemia de COVID-19.

Também vale a pena mencionar as possibilidades de mudança de jogo oferecidas pelo recém-lançado e ainda em desenvolvimento ChatGPT AI-based chatbot. O ChatGPT usa algoritmos ML para produzir conversas e conteúdo escrito com uma sofisticação muito além daquela oferecida por outras soluções de chatbot AI até o momento.

Embora a tecnologia ChatGPT seja muito nova para ser apresentada em qualquer solução na NRF, procure por soluções chatbot sofisticadas baseadas em IA para estar em exibição, especialmente porque os dados indicam que muitos consumidores estão abertos a pelo menos alguma interação com o chatbot de varejo.

Veja também