Preloader

Tempo de tela e conversão de vendas: uma experiência on-line fácil e personalizada não é negociável

Tempo de tela

Não há mais como escapar: para falarmos das principais tendências de consumo e como as marcas podem se beneficiar delas para se posicionarem e venderem de maneira mais assertiva e abrangente, temos que falar sobre a oferta digital, seja por meio das plataformas de vendas, serviços e atendimento on-line como também do conteúdo e da interação com os consumidores por meio das mídias digitais. 

Se isso, porém, não é uma novidade, a busca por controlar ou, ao menos, otimizar o tempo de exposição às telas é uma crescente entre os consumidores. Dessa forma, como sua empresa pode entregar mais e melhor para esse público?

As atividades na internet estão em transição de automáticas para conscientes. Os consumidores, sem se desconectar completamente, estão procurando consolidar e centralizar o uso das plataformas para otimizar seu tempo. Para controlar o tempo de tela, portanto, as empresas têm a oportunidade de refinar as experiências digitais com recursos eficientes e integrados, que deverão ser convertidos em valor agregado nas tomadas de decisões também cada vez mais conscientes.

Mais um conteúdo da série “Top 10 tendências globais de consumo 2023”, baseada em estudo da  Euromonitor International, após apresentarmos os “Consumidores Cautelosos” — clique aqui para ler , agora é hora de falarmos dos consumidores conectados, mas com reservas.

Tempo de tela: navegando por benefícios 

Os aplicativos ocuparam o centro do palco em todas as facetas da vida. Mas o grande número de plataformas à nossa disposição tem uma desvantagem: muitas opções deixam consumidores frustrados. 

Navegar irracionalmente por horas a fio pode parecer improdutivo e um desperdício. O uso excessivo de mídias sociais, então, tem sido associado a períodos de atenção reduzidos e a um risco maior de problemas de saúde mental. 

Nesse sentido, para se ter uma ideia, só no ano passado mais de um quinto dos consumidores deletou contas de mídias sociais que não usavam com frequência. Isso não significa propriamente uma desintoxicação digital, mas, sim, um foco na funcionalidade e eficiência. Eficiência que se espera, também, das marcas.

“A maioria dos consumidores não está planejando necessariamente diminuir o tempo de tela. Mas são mais seletivos sobre como esse tempo é gasto”, ressaltam as especialistas da Euromonitor, Alison Angus e Gina Wesbrook, responsáveis pelo estudo.

Os nativos digitais, então, querem soluções para otimizar e consolidar suas atividades on-line. Conteúdo com curadoria, aplicativos simplificados e recomendações personalizadas de produtos ajudam os consumidores a comprarem de maneira mais rápida e diretiva, bem como a controlar o tempo de tela, uma das principais tendências de comportamento em 2023.

Filtrar e focar 

Sua empresa, portanto, deve investir e oferecer soluções que melhorem o bem-estar digital. Ferramentas de gerenciamento de tempo que monitoram o tempo de tela, agendam pausas e bloqueiam distrações podem ajudar no desenvolvimento de hábitos de uso mais saudáveis. 

Os super apps, por exemplo, são um caminho para se obter uma funcionalidade simplificada, sendo um balcão único para comunicação, comércio, mobilidade, finanças e outras tarefas diárias. Mas eles não são a única opção. Complementos como APIs (Interface de Programação de Aplicação) seguros ou plugins podem expandir os serviços de sua empresa. 

Marcas centradas no cliente monitoram de perto a análise comportamental para entender como os usuários se engajam com seus aplicativos, sites ou redes sociais. Esses dados devem ser, então, usados para criar plataformas e interfaces intuitivas. Parece lógico, não é?

Panorama para controlar o tempo de tela

As pessoas estão presas aos seus smartphones e outros dispositivos móveis, mas o tempo de tela é mais seletivo. Os consumidores querem conteúdo e produtos filtrados de acordo com seus interesses. As marcas não devem ser uma distração. 

A Euromonitor aconselha que, em vez disso, as notificações precisam ser regulamentadas, intencionais e relevantes. As funcionalidades do aplicativo ou da plataforma digital devem agregar valor e ajudar os consumidores a controlar o tempo de tela e tomarem decisões de forma mais simples e assertiva. Tempo também é dinheiro!

Se seus ativos digitais não corresponderem a esses anseios, sua marca correrá o risco de perder conversões em potencial. Uma experiência on-line fácil, personalizada e abrangente não é negociável. Marcas que economizam o tempo dos consumidores acabarão ganhando sua atenção… e investimentos!

 

Veja também