Varejo de móveis: desaceleração ou estabilização? Uma verdade, diferentes pontos de vista

Varejo de móveis: desaceleração ou estabilização? Uma verdade, diferentes pontos de vista

15 de dezembro de 2021Categories: VarejoTags: , , , , ,

Compartilhe nas redes!

Compartilhe nas redes!

varejo-de-moveis-pesquisa-mensal-do-comercio

“Um peso, duas medidas”. A clássica expressão define muito bem o momento pelo qual o setor moveleiro atravessa. Enquanto a produção no setor decaiu 23,2% em outubro de 2021 frente a igual mês do ano passado, no varejo de móveis a situação não é diferente: -14,8% ao compararmos as vendas no décimo mês de cada ano. Ao mesmo tempo em que o declínio é real — e sentido por toda a cadeia — é indispensável, porém, lembrarmos dos panoramas que sustentam essas bases comparativas. Com o aquecimento das vendas de móveis no segundo semestre de 2020, portanto, influenciando qualquer análise comparativa na segunda metade de 2021.

Ou seja, uma verdade, diferentes pontos de vista

Para se ter uma ideia, as vendas no varejo de móveis brasileiro em outubro do ano passado foram 30,8% superiores às realizadas em igual mês em 2019, ano pré-pandemia. Desta forma, é de se entender o recuo no segundo semestre de 2021 ser chamado por alguns de “desaceleração”, por outros de “estabilização”.

Inflação e receita

Inegável é também, no entanto, o impacto brusco da inflação sobre os preços no Brasil. Com isso, apesar da queda em volume, quando olhamos para a receita nominal, vemos um crescimento de 10,8% no varejo de móveis no acumulado de janeiro a outubro de 2021 — 0,1 ponto percentual acima do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor) geral, que ficou em +10,7%. Na passagem de setembro para outubro, contudo, houve queda de 3,8% no valor das vendas realizadas  no varejo de móveis.

Varejo de móveis e eletrodomésticos

Já a categoria “móveis e eletrodomésticos” caiu 0,5% em outubro comparado a setembro de 2021. Em relação a outubro de 2020, o varejo de móveis e eletrodomésticos recuou 22,1%.

Esse volume de vendas no varejo de móveis e eletrodomésticos faz com que o setor registre cinco meses consecutivos de resultados negativos na comparação interanual. Tendo exercido, dessa forma, a segunda maior contribuição para a composição da taxa do varejo, com -2,4% do total de -7,1%.

Em outubro de 2021, o comércio varejista nacional variou -0,1% em relação a setembro, na série com ajuste sazonal. A média móvel trimestral recuou 1,8% no trimestre encerrado em outubro. Na série sem ajuste sazonal, o comércio varejista caiu 7,1% frente a outubro de 2020. O acumulado no ano ficou em 2,6% e o acumulado em 12 meses também foi de 2,6%.

Os dados são da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) divulgada pelo IBGE

Deixe Um Comentário

  • Categories: Marketing

    Colchões Castor – Chegar aos 60 anos em boa forma não é uma missão simples. Exige jogo de cintura, muita […]

  • Categories: Indústria

    Indústria moveleira – Acompanhando as oscilações no mercado moveleiro nacional, impactado, entre outros motivos, pela instabilidade econômica e a retomada […]

  • Categories: Feiras

    Fornecedor na cadeia moveleira – Enquanto muitos consumidores direcionaram seus recursos para realizar melhorias em suas casas durante os últimos […]

  • Categories: Varejo

Notícias em Destaque

  • Categories: Indústria, Notícias

    Abaixo do desejado desde dezembro de 2019, o nível dos estoques de produtos finais, que atingiu nível crítico no segundo […]

  • Categories: Indústria

    Na semana passada, nós falamos sobre as oportunidades para os móveis brasileiros nos Estados Unidos – clique para ler. Enquanto […]

  • Categories: Indústria

    A produção industrial no Brasil caiu 0,4% na passagem de agosto para setembro deste ano. Esta é a quarta queda […]

Assine
a nossa
Newsletter

    Opinião